Curriculum Vitae

Christina Sutter

Dados pessoais Formação acadêmica/Titulação Formação complementar Atuação profissional Linhas de pesquisa Projetos de pesquisa Áreas de atuação
Idiomas Produção científica, tecnológica e artística/cultural Dados complementares Indicadores de produção

Dados pessoais
Nome Christina Sutter
Nome em citações bibliográficas SUTTER, C.
Endereço profissional Universidade de Fortaleza, Diretoria do Centro de Ciências Humanas.
Av. Washington Soares 1321
Edson Queiroz
60811-905 - Fortaleza, CE - Brasil
Telefone: (085) 4773000 Ramal: 3154
URL da Homepage: www.unifor.br
Voltar

Formação acadêmica/Titulação
1999 - 2002 Mestrado em Psicologia.
Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil.
Título: Paternidade participativa:a vivência masculilna, Ano de Obtenção: 2002.
Orientador: Profª. Drª. Julia Sursis Ferro Nobre Bucher.
Palavras-chave: Masculinidade; pais cuidadores; subjetividade; gênero; grupo-focal.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Setores de atividade: Outro.
1993 - 1994 Especialização em Filosofia e Epistemologia da Psicologia. (Carga Horária: 360h).
Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil. Ano de finalização: 1994.
1986 - 1986 Aperfeiçoamento em Capacitação Profissional em Terapia Familiar. (Carga horária:
Universidade Federal do Ceará. Ano de finalização: 1986.
1977 - 1982 Graduação em Formação de Psicólogo.
Título: A Função da Arte na Consciência Humana.
Orientador: Maria Cristina Frascarolli Tsalis.
Voltar


Formação complementar
2012 - 2012 Trauma, vínculos e constelações.. (Carga horária: 24h).
Instituto Brasileiro de Soluções Sistêmicas.
2011 - 2011 Constelação familiar com casais,. (Carga horária: 24h).
Instituto Brasileiro de Soluções Sistêmicas.
2010 - 2010 As constelações familiares no atendimento individu. (Carga horária: 16h).
Instituto Brasileiro de Soluções Sistêmicas.
2010 - 2010 Terapia intensiva de casais disfuncionais. (Carga horária: 4h).
Associaçâo Brasileira de Terapia Familiar.
2010 - 2010 Programa de Formação Docente. (Carga horária: 27h).
Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil.
2008 - 2008 Preparation Pre-Departure. (Carga horária: 60h).
Médicos sem Fronteiras.
2007 - 2008 Treinamento em Constelação Familiar. (Carga horária: 160h).
Instituto Gaia.
2006 - 2006 Biologia do Amar / Humberto Maturana. (Carga horária: 20h).
Instituto de Terapia da Família e da Comunidade / Campinas.
2005 - 2005 Constelações Sistêmicas. (Carga horária: 24h).
Instituto Bert Hellinger Brasil Central.
2005 - 2005 do Corpo Vivido à Narração do Sujeito. (Carga horária: 8h).
Centro de Referência à Infância.
1999 - 1999 Extensão universitária em Formação Holística de Base. (Carga horária: 36h).
Universidade Holística Internacional.
1998 - 1998 Os Tempos do Tempo - Luigi Boscolo. (Carga horária: 32h).
Editorial Psy.
1997 - 1997 Hermenêutica e Reflexão. (Carga horária: 20h).
Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil.
1997 - 1997 Psicoterapia de Família Em Situações Especiais. (Carga horária: 12h).
Hospital de Saúde Mental de Messejana.
1997 - 1997 Gênese Histórica e Conceitual da Noção de Subjetiv. (Carga horária: 20h).
Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil.
1996 - 1996 Mitologia Pessoal. (Carga horária: 60h).
Instituto Gaia.
1995 - 1995 Identidade Masculina e Feminina. (Carga horária: 20h).
Instituto Gaia.
1994 - 1994 Extensão universitária em Novas Perspectivas no Estudo das Famílias. (Carga horária: 30h).
Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil.
1990 - 1990 A Queixa e a Demanda Em Terapia Familiar. (Carga horária: 20h).
Centro de Estudos da Família.
1988 - 1988 Formação de Formadores Em Terapia Familiar. (Carga horária: 22h).
Centro de Estudos da Família e Casal.
1986 - 1986 Extensão universitária em Capacitação Em Terapia Familiar. (Carga horária: 240h).
Universidade Federal do Ceará.
1977 - 1977 Psquiatria - Psicoterapia. (Carga horária: 24h).
Centro de Estudos do Hospital Pedro de Alcântara.
1974 - 1974 Neurose e Personalidade Sadia. (Carga horária: 30h).
Universidade Católica de Pernambuco.
Voltar


Atuação profissional
Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil.
Vínculo institucional
1987 - Atual Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: professor titular, Carga horária: 20
Outras informações Professora do curso de psicologia nas disciplinas psicologia da família, psicoterapia do grupo familiar e seminários clínicos. Supervisora do projeto de terapia familiar do serviço de psicologia aplicada do Núcleo de Atenção Médica Integrada a Unifor. Co-coordenadora do Laboratório de Estudos de Sistemas Complexos, do PPG.
Atividades
8/2003 - Atual Pesquisa e desenvolvimento , Diretoria do Centro de Ciências Humanas, Curso de Psicologia.
Linhas de pesquisa
Laboratório de Estudos dos Sistemas Complexos: casais, famílias e comunidades.
8/1995 - Atual Extensão universitária , Diretoria do Centro de Ciências Humanas, Núcleo de Serviços e Psicologia Aplicada.
Atividade de extensão realizada
Psicoterapia Familiar.
3/1990 - Atual Direção e administração, Divisão de Pós Graduação, Latu Sensu Curso de Especialização Em Família Uma Abordagem Sistêmica.
Cargo ou função
Coordenador de Curso.
3/1990 - Atual Ensino, Família: Uma Abordagem Sistêmica, Nível: Especialização.
Disciplinas ministradas
Aspectos da Dinâmica Familiar
9/1987 - Atual Ensino, Psicologia, Nível: Graduação.
Disciplinas ministradas
Psicologia Educacional
Psicoterapia do grupo familiar
Supervisão de estágio
2002 - 2006 Atividades de Participação em Projeto, Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, .
Projetos de pesquisa
O Macho Cearense Revisitado: a crise da condição masculina nas classes populares de Fortaleza
Médicos sem Fronteiras, MSF, Holanda.
Vínculo institucional
2008 - 2009 Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Mental health officer, Carga horária: 40
Outras informações Trabalho voluntário em missão humanitária no Haiti. Implementaçâo de programa em saúde mental em um hospital maternidade e três clínicas móveis em favelas de Porto Principe.

Voltar


Linhas de Pesquisa
1. Laboratório de Estudos dos Sistemas Complexos: casais, famílias e comunidades.
Objetivos: Produzir conhecimento, a partir de uma reflexão crítica sobre a complexidade da existência humana, sobre o sistema familiar brasileiro, em especial das regiões Norte e Nordeste, na perspectiva do sujeito e das mudanças dos cenários socioculturais; Formar recursos humanos qualificados para a pesquisa, o ensino e a prática profissional nesta área; Promover intercâmbio intrainstitucional, desenvolvendo essa dimensão através da formação de parcerias com pesquisadores e centros de excelência na área de psicologia da família, tanto no Brasil quanto no exterior..
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Palavras-chave: sistemas complexos; casais; familias; comunidades.
Voltar

Projetos de Pesquisa
2002 - 2006 O Macho Cearense Revisitado: a crise da condição masculina nas classes populares de Fortaleza
Descrição: 2.1. Objetivo Geral: investigar a possível ocorrência de uma crise da condição masculina entre homens das classes populares de Fortaleza. 2.2. Objetivos Específicos: a) compreender o que significa ser homem na atualidade (Subprojeto I); b) compreender o significado por eles atribuído à paternidade, confrontando suas relações com o seu pai e com seus filhos (Subprojeto II); c) analisar suas relações com as mulheres, principalmente a partir do relacionamento com a mãe (Subprojeto III); d) investigar suas relações de amizade com outros homens (Subprojeto IV); e) investigar o significado do trabalho profissional entre homens das classes populares de Fortaleza (Subprojeto V). .
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Integrantes: Christina Sutter - Integrante / BORIS, Georges Daniel Janja Bloch - Coordenador / Alvaro Rebouças - Integrante / Maria Inês Detsi - Integrante.
.
Voltar

Áreas de atuação
1. Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
2. Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Voltar


Idiomas
Compreende Espanhol (Bem), Francês (Bem), Inglês (Bem).
Fala Espanhol (Razoavelmente), Francês (Bem), Inglês (Bem).
Espanhol (Bem), Francês (Bem), Inglês (Bem).
Escreve Espanhol (Pouco), Francês (Bem), Inglês (Bem).
Voltar


Produção científica, tecnológica e artística/cultural
Produção bibliográfica Produção técnica Orientações concluídas

Produção bibliográfica

Trabalhos completos/resumidos em eventos
1. SUTTER, C.. Proposta Holística para o Futuro da Família. In: IV Encontro Holístico Internacional; III Congresso Holístico Pan-americano e I Congresso Internacional de Reitores e Educadores para a Paz e o Meio-Ambiente., 1993, Salvador. Proposta Holística para o Futuro da Família, 1993. p. 98- 98.
Palavras-chave: Crise da família; Urbanização; Vivência comunitária.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
2. SUTTER, C.. Violência na Família. In: II Congresso Brasileiro de Terapia Familiar, 1996, Gramado. Violencia na Família, 1996. p. 146-146.
Palavras-chave: Famílias de baixa renda; mal-trato infantil; carência emocional.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Classificação do evento: Nacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
3. SUTTER, C.. Pobreza, Violência e Representação da infância. In: VIII Encontro de Ciências Sociais do Norte e Nordeste, 1997, Fortaleza. Livro de Resumos do VIII Encontro de Ciências Sociais do Norte e Nordeste, 1997.
Palavras-chave: Pobreza; Violência; Representação da infância; Intervenção pedagógica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Classificação do evento: Nacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
Na prática com famílias de baixa renda constatamos que a violência na socialização dos filhos parece estar relacionada à conjugação do fator econômico com uma representação da infância na qual a criança não é compreendida na sua especificidade, a partir de uma demanda de participação precoce nas estratégias de sobrevivência familiar. Por outro lado, essa representação da infância é reforçada pelos modelos internalizados de maternidade e paternidade que legitimam tal violência. Dentro dos limites do contexto terapêutico, descreveremos nossa linha de abordagem desse quadro relacional, abrangendo desde uma dimensão re-educativa a um resgate de outras possibilidades de expressão. .
4. SUTTER, C.; PEREIRA, P. R.; LIMA, R. B. et al. A família Risonha: um estudo de caso de uma família de baixa renda com organização psicótica. In: II Conferência Internacional sobre a Família, 1997, Brasília. Livro de Resumos da II Conferência Internacional sobre a Família, 1997.
Palavras-chave: Psicose; Família de baixa renda; cultura nordestina.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
A partir de nossa prática com famílias carentes no Serviço de Psicologia Aplicada da Universidade de Fortaleza, propomos apresentar um estudo de caso de uma família com organização psicótica atípica. Este estudo de caso objetiva discutir tanto a complexidade de uma família nordestina de baixa renda, em que traços culturais embasam a forma pela qual os conflitos internos são abordados, quanto ilustrar como, a partir de uma abordagem sistêmica, a equipe terapêutica pôde utilizar modalidades de intervenções isomórficas ao território simbólico da família. Ao longo do processo terapêutico emerge como os sofrimentos e lutos não elaborados em quatro gerações de história familiar são neutralizados por mecanismos atenuadores de risos coletivos que, especificamente, nessa família, constituem um dos elementos de sua organização psicótica..
5.

SUTTER, C.. Paternidade Participativa: a Vivência Masculina. In: XIII Congresso Internacional de Terapia Familiar da IFTA, 2001, Porto Alegre. Desafios à Família no Século 21 - Teoria, Prevenção e Terapia. Porto Alegre, 2001. p. 194-194.
Palavras-chave: paternidade; pais cuidadores; gênero masculino; subjetividade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
Esta pesquisa trata da subjetividade masculina na paternidade participativa, buscando captar o sentido dado à paternidade e à masculinidade por homens que vivenciam o cuidado cotidiano dos filhos nos domínios da alimentação, higiene, lazer e educação. O pai nutrido é assim definido como sendo o oposto ao pai tradicional, que subentende, sobretudo, funções disciplinares e provedoras, compatíveis com o modelo de masculinidade patriarcal. A fim de apreender o sentido dado pelos sujeitos da pesquisa à vivência da paternidade , utilizamos a técnica do Grupo Focal, analisando os dados à luz das práticas discursivas, a partir da perspectiva do construcionismo social, que considera que o sentido é construído interativamente, na dinâmica de relações sociais histórica e culturamente localizadas. Essa perspectiva corresponde à noção de que a subjetividade se expressa através do sentido subjetivo, nas emoções e processos de significação. Seguindo a lógica da produção de sentido, a partir da confrontação de várias vozes, no Grupo Focal, as categorias emergentes são analisadas, entrelaçando o discurso dos sujeitos, e reagrupadas em quatro categorias abrangentes que buscam contemplar as múltiplas dimensões da vivência masculina: ser homem, paternidade e relacionamento conjugal, vivência da paternidade e relacionamento com o próprio pai. Como resultado, percebe-se que os pais cuidadores vivenciam a paternidade com especial intensidade emotiva, demonstrando uma disposição contrária ao estereótipo masculino, que pressupõe, sobretudo, o autocontrole das emoções. Constata-se que a paternidade participativa implica na reativação de sentimentos de dependência oral do desenvolvimento humano, compatíveis com nossa linhagem neotênica, que se expressam pela capacidade de cuidar e se envolver numa relação de intimidade, comumente negadas na experiência masculina..

6. SUTTER, C.; Dourado, R. A.. Atendimento de casais: impasses da relação. In: XIII Congresso Internacional de Terapia Familiar da IFTA, 2001, Porto Alegre. Desafios à Familia do Século 21- Teoria, Prevenção e Terapia. Porto Alegre, 2001. p. 55-55.
Palavras-chave: impasses terapêuticos; terapia de casal; impasses conjugais.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
No atendimento com casais o terapeuta se depara com impasses terapêuticos relacionados com os impasses conjugais vividos pelo casal. Propomos alternativas terapêuticas criativas que possam oferecer ao casal saídas para o impasse em que se encontram. Exemplificamos através de um estudo de caso..
7. SUTTER, C.; BUCHER, Júlia Sursis Ferro Nobre. Paternidade Participativa: a Vivência Masculina. In: 2o. Seminário Internacional e 1o. Seminário Norte/Nordeste. Homens, Sexualidade e Reprodução, 2003, Recife. Livro de resumos. Recife, 2003. p. 76-76.
Palavras-chave: paternidade participativa; genero masculino; grupo focal; práticas discursivas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Outro
Esta pesquisa trata da subjetividade masculina na paternidade participativa, buscando captar o sentido dado à paternidade e à masculinidade por homens que vivenciam o cuidado cotidiano dos filhos nos domínios da alimentação, higiene, lazer e educação. O pai nutrido é assim definido como sendo o oposto ao pai tradicional, que subentende, sobretudo, funções disciplinares e provedoras, compatíveis com o modelo de masculinidade patriarcal. A fim de apreender o sentido dado pelos sujeitos da pesquisa à vivência da paternidade , utilizamos a técnica do Grupo Focal, analisando os dados à luz das práticas discursivas, a partir da perspectiva do construcionismo social, que considera que o sentido é construído interativamente, na dinâmica de relações sociais histórica e culturamente localizadas. Essa perspectiva corresponde à noção de que a subjetividade se expressa através do sentido subjetivo, nas emoções e processos de significação. Seguindo a lógica da produção de sentido, a partir da confrontação de várias vozes, no Grupo Focal, as categorias emergentes são analisadas, entrelaçando o discurso dos sujeitos, e reagrupadas em quatro categorias abrangentes que buscam contemplar as múltiplas dimensões da vivência masculina: ser homem, paternidade e relacionamento conjugal, vivência da paternidade e relacionamento com o próprio pai. Como resultado, percebe-se que os pais cuidadores vivenciam a paternidade com especial intensidade emotiva, demonstrando uma disposição contrária ao estereótipo masculino, que pressupõe, sobretudo, o autocontrole das emoções. Constata-se que a paternidade participativa implica na reativação de sentimentos de dependência oral do desenvolvimento humano, compatíveis com nossa linhagem neotênica, que se expressam pela capacidade de cuidar e se envolver numa relação de intimidade, comumente negadas na experiência masculina..
8. SUTTER, C.; BUCHER, Júlia Sursis Ferro Nobre. Paternidade Participativa. In: III Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa da Universidade de Fortaleza, 2003, Fortaleza. Livro de resumo. Fortaleza : Unifor, 2003. p. 137-137.
Palavras-chave: envolvimento paterno; vivência masculina; biologia da intimidade; grupo focal; práticas discursivas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Classificação do evento: Local; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
9.

SUTTER, C.; BUCHER, Júlia Sursis Ferro Nobre. O Grupo Focal como Produção de Sentido. In: VI Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa / Unifor, 2006, Fortaleza. Mundo Unifor. VI Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa, 2006.
Palavras-chave: grupo-focal; práticas discursivas; subjetividade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Classificação do evento: Regional; Brasil/ Português
O presente trabalho corresponde à descrição do Grupo Focal como campo de produção interativa de sentido. O Grupo Focal, como técnica de entrevista coletiva visa investigar como as pessoas pensam e agem com relação a determinado tema, considerando que na interação grupal se produzem dados e insights. Partindo da noção de subjetividade em Rey e em Guattari, pensamos o Grupo Focal como contexto que facilita a expressão dos sujeitos bem como a produção de sentidos e de ressignificações. A partir de uma pesquisa sobre o envolvimento paterno em que o Grupo Focal foi a técnica adotada, utilizamos como referencial metodológico, para a análise dos dados da entrevista, a análise das práticas discursivas, dentro da perspectiva do construcionismo social. Considerando que o falante utiliza um sistema de linguagem e de enunciações preexistente, o sentido decorre do uso que é feito dos repertórios interpretativos disponíveis. Na análise da entrevista, demonstramos como surgem os repertórios interpretativos e as ressignificações, a partir das interações entre os sujeitos, em que é possível verificar tanto a subjetividade quanto os processos de singularização. Neste sentido, apontamos o Grupo Focal como uma técnica de entrevista que tanto facilita a produção de sentido quanto permite apreender o modo como esse sentido é produzido na interação. .

10. SUTTER, C.; REBOUCAS, A.; BORIS, G.D.J.B. O Macho Cearense Revisitado: a relação com o próprio pai.. In: Mundo Unifor/ VII E, 2007, Fortaleza. Mundo Unifor: Educação e Capital Social. Fortaleza : Unifor Editora, 2007.
Palavras-chave: identidade masculina; fenomenologia; paternidade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Classificação do evento: Regional; Brasil/ Português
11. SUTTER, C.. Os Fios Invisíveis da Violência Familiar e Conjugal. In: I Congresso Sul-americano Violência Culpa e Ato: causas e efeitos subjetivos, 2007, Fortaleza. I Congresso Sul.americano, Violência, Culpa e Ato, 2007.
Palavras-chave: violência intrafamiliar; dinâmica interpessoal; organização do meio humano.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Digital; Homepage: [http://www.labio.com.br]
Focalizamos a violência no âmbito das dinâmicas interpessoais, comuns a todas as famílias, assinalando, a título de ilustração, os múltiplos níveis que estão implicados no surgimento da mesma. Na organização do meio humano três dimensões interagem entre si: a dimensão ética, com seu código normativo; o sistema de crenças, comportando os mitos e os valores fundamentais; e a ambiência, na qual ocorre a expressão dos afetos. A violência pode ser gerada ou perpetuada em qualquer uma dessas dimensões, lembrando que todas se articulam entre si e cada uma com um elemento da cultura. Se por um lado, a violência parece ser a expressão da tensão entre pertencimento e diferenciação, entre consciência grupal e consciência pessoal, por outro lado, esta encontra sua lógica mantenedora na maneira como o sistema está organizado. Neste, as múltiplas dimensões que organizam o sistema familiar se entrelaçam como fios invisíveis dando coesão ao grupo, mas também possibilitando rupturas e, em conseqüência, a punição e a exclusão..
12. ARORA, S.; GIRÂO, E.; SUTTER, C.. Babel: uma análise das interconexões sistêmicas.. In: VI Encontro de Iniciação à Pesquisa e Pós-graduação, 2007, Fortaleza. VI Encontro de Iniciação à Pesquisa e Pós-graduação, 2007.
Palavras-chave: pensamento sistêmico; transversalidade; complexidade.
Referências adicionais: Classificação do evento: Regional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Digital
Este ensaio tem como intuito realizar uma reflexão sobre o filme Babel (2007) a partir do pensamento sistêmico, em que os diversos níveis da existência humana estão interconectados. Dessa forma, as circunstâncias apresentadas no filme são analisadas a partir do ponto de vista cultural, político, econômico, familiar, comunicacional e religioso. Tendo como referência os pressupostos do pensamento sistêmico instabilidade, intersubjetividade e complexidade detectamos que o roteiro do filme contempla tais pressupostos, porquanto podemos perceber que cada história relatada se conecta com as demais, a partir de uma lógica complexa e nas situações mais particulares., revelando a transversalidade dos fenômenos..
13. SUTTER, C.; REBOUCAS, A.; BORIS, G.D.J.B. O Macho Cearense Revisitado: a relaçâo com o próprio pai. In: 6 Congresso Norte Nordeste de Psicologia, 2009, Belém. 6 congresso Norte Nordeste de Psicologia, 2009.
Palavras-chave: paternidade; Masculinidade; fenomenologia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Classificação do evento: Regional; Brasil/ Português; Homepage: [http://www.conpsi6.ufba.br]
De que maneira é caracterizada a relação com seu pai? Havia diferenças de relação do seu pai com você e com os seus irmãos? Existiam toques e manifestações de carinho? Houve mudanças com o passar do tempo na relação com seu pai? O pai influenciou a relação com as mulheres e com os outros homens? O pai cobrava atitudes firmes, decididas e agressivas? Como se caracteriza a relação com seus filhos? Os filhos são mais próximos de você ou das mães? Você se percebe repetindo atitudes do próprio pai na relação com os filhos? Estas perguntas foram essenciais para a compreensão da relação desenvolvida por pais e filhos nas classes populares de Fortaleza, no que se refere à masculinidade. Desta forma, buscamos perceber os sentidos que os homens atribuem às suas vivências com seu pai assim como as questões que envolvem a construção da subjetividade masculina. Para esta pesquisa qualitativa foi utilizado o método fenomenológico visando investigar como a relação com o pai influenciou na vivência da masculinidade. Entrevistamos 21 homens adultos, entre 22 e 61 anos, que pertenciam às classes populares residentes em bairros da periferia de Fortaleza. A partir do material coletado realizamos as transcrições literais de cada depoimento, transformando-os em dados descritivos os quais possibilitaram o surgimento das tipologias nativas e, posteriormente, as analíticas a partir da interpretação dos dados, à luz dos aliados teóricos e dos relatos dos próprios entrevistados. Dos depoimentos, conclui-se que a relação com o pai, quando este estava presente, é um modelo significativo e fundamental na construção da identidade masculina, aqui incluídos tanto a dimensão do homem trabalhador quanto a do homem pai e chefe de família, tanto mais significativo quanto fortalecido por laços de afetividade. Os valores ensinados pelo pai o colocam em um lugar de respeito, senão de idealização, importante como norteador de como ser um homem socialmente coerente. Na passagem para a geração seguinte, este.
14. SUTTER, C.. Fome e Desumanização. In: I Congresso de Estudos e Intervençôes Psicanalíticas na Clínica e no Social: a expreriència da fome na clínica e na cultura, 2010, Fortaleza. I Congresso de Estudos e Intervenções Psicanalíticas na Clínica e no Social, 2010. v. 1.
Palavras-chave: fome; pobreza degradante; desumanização.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Classificação do evento: Nacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Digital; Homepage: [http://www.leipcs.com.br]
O Haiti vive uma longa crise humanitária, desde antes do advento do terremoto, devido à pobreza abjeta de sua população e à instabilidade política. A partir de uma missão realizada com uma organização médica humanitária para a redução da mortalidade materna em Porto Príncipe, são tecidas algumas reflexões sobre a relação entre o processo de desumanização e a fome. Propõe-se, como foco central de intervenção em tal contexto, o restabelecimento de relações humanas de atenção, cuidado e afeto como antídoto às consequências da desumanização..
15. SUTTER, C.. Contexto de crise humanitária: o que pode uma terapeuta de família?. In: IX Congresso Brasileiro de Terapia Familiar/ Encontro Latino Americano de Terapeutas Familiares, 2010, Buzios. Livro de resumos, 2010. p. 85-85.
Palavras-chave: crise humanitária; morbidade e mortalidade materna; perspectiva sistêmica; saúde mental.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde humana e serviços sociais.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
Resumo: Relato de experiência sobre a atuação de uma terapeuta de família em um contexto de crise humanitária. Após uma temporada no Haiti trabalhando em um projeto para a redução da morbidade e da mortalidade materna, com a organização humanitária Médicos sem Fronteiras, a autora, responsável pela implementação de um programa em saúde mental, compartilha sua experiência e desafios encontrados. O projeto incluía um hospital maternidade e três clínicas móveis nas favelas de Porto Príncipe de maior risco, atendendo uma média de 2000 mulheres ao mês. Como parte do programa foi introduzida a abordagem sistêmica, envolvendo os familiares e os parceiros das pacientes, realizando visitas domiciliares e desenvolvendo o trabalho com a rede social. A despeito de muitas dificuldades relacionadas ao contexto do país o colapso da infra-estrutura social, o desemprego generalizado e a violência sexual e doméstica contra a mulher foi possível verificar a validade de envolver o sistema humano em torno da paciente na resposta às situações de crise pessoal que refletiam a crise humanitária maior em que se encontra a população haitiana. Da mesma forma, o envolvimento do staff médico e hospitalar na promoção da saúde mental das pacientes foi um divisor de águas na qualidade do atendimento. Como conclusão aponta-se a importância de programas em saúde mental em tais contextos e as múltiplas possibilidades de intervenção que uma perspectiva sistêmica proporciona..
16. SUTTER, C.; MOREIRA, Livia Lopes; Haguette, Regina J. et al. As provedoras do amor e limite: o difícil papel das avós no contexto das famílias de baixa renda.. In: IX Congresso Brasileiro de Terapia Familiar/ Encontro Latino Americano de Terapeutas Familiares, 2010, Buzios. Livro de resumos, 2010. p. 111-111.
Palavras-chave: avós cuidadoras; dinamicas afetivas; famílias de baixa-renda.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português
A partir de experiências clínicas, vividas no Serviço de Psicologia Aplicada - SPA, vinculado ao Núcleo de Atenção Médico Integrada (NAMI), da Universidade de Fortaleza UNIFOR, pudemos observar diversas sinuosidades nos papéis desempenhados pelas avós, sejam paternas ou maternas, na família, em especial aquelas que assumem a educação dos netos. Não são raros os sistemas que tomam essa configuração, o que merece atenção cuidadosa e reflexão crítica. Percebemos que, em grande parte desses casos, são as avós que buscam o serviço de Psicologia, preocupadas com o desenvolvimento psicoafetivo dos netos ou em busca de apoio por não conseguirem disciplinar as crianças, estabelecer limites. São as avós que se responsabilizam por todo processo terapêutico com ausência quase que total dos pais biológicos. Muitas vezes, os mais velhos assumem o papel de criar os netos por questão de necessidade, filhos que trabalham o dia inteiro ou em outras cidades, adicção, por que não querem ver os netos em casas de adoção ou por que o (a) filho (a) inicia um novo casamento e o parceiro não se dispõe a assumir a criança do relacionamento anterior. Esse desenho familiar pode envolver infindáveis dinâmicas afetivas: avós que através dos netos buscam "pagar" uma dívida de amor ou de má criação para com o filho (a), famílias monoparentais, governadas, em geral, por mulheres, pais ausentes que delegam as mulheres o "fardo" de cuidar das crianças e que, por sua vez descarregam o peso sobre os ombros da avó ou mesmo mães que, por adicção, imaturidade ou impossibilidade entregam seus filhos às ex - sogras. Nesse sentido nos cabe perceber e analisar não somente a incapacidade parental dos pais, que abandonam seus filhos, mas também nos movimentos das avós que recebem as crianças e dispõem-se a alimentá - los e a suprir emocionalmente o desenvolvimento dos pequenos. Ainda que essas avós não possam dar conta integralmente da demanda afetiva dos netos, há, em geral, uma proposta de estabilidade, de.
17. SUTTER, C.; HAGUETTE, Regina Lucia Jaguaribe; ARAGÃO, Melina de Andrade. Terapia familiar e constelação familiar: integrando diferentes técnicas sistêmicas. In: IX Congresso Brasileiro de Terapia Familiar/ Encontro Latino Americano de Terapeutas Familiares, 2010, Buzios. Livro de resumos, 2010. p. 122-122.
Palavras-chave: terapia familiar; constelação familiar; técnicas complementares.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Impresso
Relato da experiência sobre a integração da terapia familiar com a técnica da constelação familiar na clinica escola. O Serviço de Psicologia Aplicada da Universidade de Fortaleza inclui em seu programa um projeto de atendimento e estágio em terapia familiar desde 1994. Conveniados ao SUS, atendemos, sobretudo, famílias de baixa renda. Nos últimos anos, em virtude da complexidade dos casos atendidos pelo projeto, começamos a complementar experimentalmente os atendimentos com sessões de constelação familiar, aqui utilizada como técnica diagnóstica. Embora a terapia familiar tenha uma abrangência maior do que as terapias de cunho individual, ao trazer o sistema para o setting terapêutico, também a terapia familiar apresenta às vezes limitações, seja porque a questão transcende a compreensão racional ou consciente das pessoas implicadas no sistema presentes na sessão, seja pela impossibilidade de comparecimento de todos os membros da família, o que não é incomum na população de baixa renda. A técnica inspirada no trabalho de escultura de Virginia Satir e desenvolvida por Bert Hellinger com o nome de constelação familiar permite, neste sentido, apreender os emaranhamentos emocionais e trazer maior clareza sobre a dinâmica oculta da família, tanto para os terapeutas quanto para o membro da família convidado para participar da constelação. Por outro lado, para os alunos que estão em estágio, a participação em uma constelação permite uma compreensão mais profunda e vivencial das forças que atuam no sistema familiar, aqui chamado por Hellinger de ordens do amor. Na nossa experiência, a constelação familiar tem sido utilizada para situações de tentativa de suicídio, famílias com crianças em abrigo, morte por assassinato, depressão, abandono paterno, impasses conjugais, entre outros, tendo se mostrado de extrema riqueza e auxílio para a condução do caso..
18. BRECKENFELD, M. A. M.; SUTTER, C.. Duas tríades e três tríades: Um estudo de caso sobre subsistemas e fronteiras familiares.. In: XVI Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2010, Fortaleza. XVI Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2010.
Palavras-chave: terapia familiar; fronteiras; subsistemas; abordagem sistêmica.
Referências adicionais: Classificação do evento: Local; Brasil/ Português; Homepage: [http://www.unior.br/encontros]
O presente artigo tem por objetivo ilustrar um estudo de caso à luz da terapia familiar de Abordagem Sistêmica e, mais especificamente, dos conceitos de fronteiras e subsistemas familiares. A dinâmica familiar e padrões de funcionamento saudáveis estão intrinsecamente relacionados a fronteiras nítidas e subsistemas adequadamente definidos. A família aqui descrita, composta por seis mulheres pertencentes a três gerações, apresenta uma rigidez em sua homeostase e fronteiras pouco nítidas, o que levou à necessidade de intervenções diretivas que realinhassem e delimitassem seus subsistemas. Constatou-se que a nova abordagem tomada pelas terapeutas tem causado ressonâncias significativas na dinâmica familiar..
19. BRECKENFELD, M. A. M.; SUTTER, C.. Um Olhar sobre a Avaliação Processual a partir da Cibernética. In: X Encontro de Iniciação à Docência, 2010, Fortaleza. Encontros Científicos., 2010.
Palavras-chave: avaliação processual; docência; cibernética; visão sistêmica; retroalimentação.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Classificação do evento: Local; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Vários
O presente trabalho tem por objetivo relatar a experiência de monitoria da autora ao participar de uma avaliação processual e sistêmica junto à disciplina de Psicoterapia do Grupo Familiar, além de discorrer sobre a Teoria da Cibernética enquanto elucidações teóricas para tal prática. A metodologia se deu através de dois momentos dialógicos ao final das etapas do semestre, tendo uma delas contado com um questionário mais detalhado. Pode-se perceber que, com uma avaliação no percurso do semestre, foi possível corrigir alguns erros, abrir possibilidade de um maior acompanhamento da monitora junto aos estudantes da disciplina, rever a metodologia de avaliação pedagógica e, principalmente, possibilitar uma reflexão aos estudantes de seu desempenho e sua participação na disciplina. Pode-se perceber que a retroalimentação no decorrer do semestre se faz imprescindível para que os processos avaliativos se insiram no processo mais amplo de ensino-aprendizagem. Para tanto, favorecer espaços e uma relação de diálogo entre professor e aluno contribui para que eventuais erros sejam corrigidos no percurso do processo de aquisição de conhecimento, sempre procurando ampliar o foco que, antes restrito às notas e resultados dos estudantes, já engloba os demais elementos constituintes do processo ensino-aprendizagem..
20. CARVALHO, Beatriz N.; SUTTER, C.. Famílias de baixa renda, autoridade e consumo: outras formas de vulnerabilidades. In: I Seminário Nacional sobre Infância, Juventude e Políticas Públicas, 2011, João Pessoa. I Seminário Nacional sobre Infância, Juventude e Políticas Públicas, Eixo temático: constituição e novos arranjos familiares., 2011. p. 57-65.
Palavras-chave: Família de baixa renda; autoridade parental; ideologia de consumo.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Classificação do evento: Nacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Digital
21. FREIRE, B. P.; ALMEIDA, L. N. L.; SUTTER, C.. Estudo de caso em abordagem sistêmica: uma evolução do sistema chamado família.. In: XII Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2011, Fortaleza. Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2011.
Palavras-chave: psicologia; abordagem sistêmica; psicoterapia familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Classificação do evento: Regional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Digital; Homepage: [http://www.unifor/ encontros]; ISSN/ISBN: 18088449.
Este trabalho vem apresentar, em formato de estudo de caso, a evolução do processo psicoterápico de uma família atendida no SPA Serviço de Psicologia Aplicada, que está integrado ao NAMI Núcleo de Atendimento Médico Integrado, da Unifor Universidade de Fortaleza, pelos estagiários curriculares supervisionados em clínica I e II. O caso foi escolhido por ilustrar as progressivas transformações vividas por uma família ao longo do tempo em que vem sendo atendida e o progressivo desvelar das questões relacionais e intergeracionais ocultadas atrás da queixa trazida pela família em torno do comportamento gravemente perturbado da filha mais nova, de oito anos. Concluímos que a disponibilidade e a persistência da família em dar seguimento ao trabalho da terapia permitiu o repensar das relações e a liberação da criança desse lugar de paciente identificado..
22. FREIRE, B. P.; NEGREIROS, D. J.; MENESES, M. I. B. et al. A visita domiciliar como elemento terapêutico na terapia de família.. In: XVI Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2011, Fortaleza. Mundo Unifor: XVI Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2011.
Palavras-chave: abordagem sistêmica; terapia familiar; visita domiciliar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Classificação do evento: Regional; Brasil/ Português; Homepage: [http://www.unifor/encontros]
23. SUTTER, C.. Psychoeducatioin as a strategy to face the culture of violence against women in Haiti. In: 7th International Conference on Dialogical Self, 2012, Athens, Georgia. 7th International Conference on Dialogical Self, 2012. p. 38-38.
Palavras-chave: domestic and sexual violence; psychoeducation; dialogical self.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Estados Unidos/ Inglês; Meio de divulgação: Vários
24. BENEVIDES, M. G.; OLIVEIRA, G.; PRATA, D. et al. Dialogical Strategies on Situation of Violence. In: 7th International Conference on Dialogical Self, 2012, Athens, Georgia. 7th International Conference on Dialogical Self, 2012. p. 69-69.
Referências adicionais: Classificação do evento: Internacional; Estados Unidos/ Inglês; Meio de divulgação: Digital
Violence is a disturbing worldwide phenomenon, while data on illegal and hidden acts will always be hard to come by, reports by national and international human rights organizations show that violence is an overwhelming public health problem. The strategies for redefining of the roles and practices of professionals in health and education in fighting violence emerge in this context. In this session research reports will be presented as results of therapeutic and educational interventions with groups in situations of violence. First, Marinina Gruska Benevides will report two experiences of psychotherapeutic work based on wheels of conversation, focusing on the behavior of men who committed crimes of domestic violence against women. Next, Marinina Gruska Benevides and Daniele Gruska Benevides Prata will present a trajectory of vocational and professional guidance for adolescents in conflict with the law. Then Christina Sutter will report an experience of psychoeducation work performed in a hospital maternity ward and mobile clinics in the slums of Haiti. Finally, Gerson Augusto de Oliveira Júnior discusses the ways education based on dialogical strategies contributes to politicalchanges to face the violence against the Tremembé Indians. The ninety minutes of this session will be divided equally between the presenters. The presenters of this session aim to facilitate the transformation of social reality in different contexts by offering ways for a dialogical construction of a culture of peace..
25. COUTINHO, Marcia; RIBEIRO, A. C.; SUTTER, C.. O sintoma como metáfora. Estudo de caso a partir da perspectiva sistêmica.. In: XVII Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2012, Fortaleza. Encontro de Iniciação à Pesquisa, 2012.
Palavras-chave: comunicação; Família; abordagem sistêmica; sintoma.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Classificação do evento: Regional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Digital; Homepage: [http://www.unifor.br/encontros]; ISSN/ISBN: 18088449.
O presente artigo relata um estudo de caso em terapia familiar realizado no SPA Serviço de Psicologia Aplicada, do Núcleo de Atenção Médica Integrada - NAMI, da Universidade de Fortaleza UNIFOR. A abordagem sistêmica foi utilizada como referencial teórico de base. A família em questão é composta por quatro membros: pai, mãe e dois filhos . Os atendimentos foram realizados através da terapia familiar sistêmica. O paciente identificado é S., 17 anos, filho mais velho do casal. A mãe traz a queixa de que o filho come sabão e defeca nas calças. O sintoma de S., encoprese secundária, parece comunicar simbolicamente, de forma analógica, as relações estabelecidas no sistema familiar. Ou seja, de uma forma metafórica aponta para o grave conflito conjugal interferindo na relação parental . S. encontra-se triangulado entre pai e mãe, expressando em seu lugar o que não pode ser comunicado abertamente. Nossas hipóteses apontam para a disfuncionalidade no subsistema conjugal que contaminando o subsistema parental, gera, por sua vez, um padrão disfuncional em todo o sistema familiar. Percebendo esse processo conflitante, os atendimentos aconteceram no sentido de facilitar uma comunicação mais clara no sistema familiar, permitindo ao filho expressar o lugar de impossibilidade que se encontra, posto que triangulado no conflito conjugal..
26. MARTINS, L. F.; SUTTER, C.. A análise de filmes como facilitador do processo de aprendizagem. In: XII Encontro de Iniciação à Docência, 2012, Fortaleza. XII Encontro de Iniciação à Docência, 2012.
Palavras-chave: aprendizagem; filme; psicologia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Classificação do evento: Regional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Digital; Homepage: [http://www.unifor.br/encontros]; ISSN/ISBN: 21755396.
O presente artigo, resultado de uma pesquisa qualitativa, investigou como a análise de filmes pode contribuir no processo de aprendizagem. Neste contexto, buscou-se identificar esta prática como um facilitador da assimilação dos conteúdos estudados, em especial no campo da Psicologia. Neste contexto, são esclarecidos aspectos sobre os cuidados que se deve ter ao utilizar esse instrumento em sala de aula, bem como sua importância para aprendizagem, por ser motivador e envolvente quando conduzido de forma adequada, considerando que os alunos hoje buscam mais desafios, mais dinamismo nesse processo. Por serem representações da realidade, os filmes, facilitam o fazer links com as teorias estudadas em Psicologia, esta ciência complexa que estuda os comportamentos humanos..

Artigos completos/resumidos publicados em periódicos
1. SUTTER, C.. Supervisão em grupo em um curso de Especialização em Família. Nova Perspectiva Sistêmica, Rio de Janeiro, v. Ano 3, n. n. 5, p. 40-42, 1994.
Palavras-chave: abordagem sistêmica; supervisão em grupo; interdisciplinaridade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem. ; Meio de divulgação: Impresso; Série: 5; ISSN/ISBN: 01047841.
2. SUTTER, C.; BUCHER, Júlia Sursis Ferro Nobre. Pais que cuidam dos filhos: a vivência masculina na paternidade participativa. Psico (PUCRS. Online), v. 39, p. 74-82, 2008.
Palavras-chave: paternidade participativa; subjetividade; grupo-focal; práticas discursivas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade. ; Meio de divulgação: Vários; Homepage: [http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/1488]; Série: 1; ISSN/ISBN: 19808623.
O presente artigo é o relato de uma pesquisa com pais cuidadores homens que vivenciam a participação constante no cotidiano dos filhos no intuito de captar o sentido dado à paternidade e à masculinidade. Com vistas a apreender o sentido atribuído pelos sujeitos da pesquisa à vivência da paternidade, foi utilizada a técnica do Grupo Focal, analisando-se os dados colhidos a partir das práticas discursivas, à luz do construcionismo social. Como resultado, percebe-se que os pais cuidadores vivenciam a paternidade com especial intensidade emotiva, e demonstram uma disposição contrária ao estereótipo masculino, que pressupõe, sobretudo, o autocontrole das emoções. Conforme se constata, a paternidade participativa implica a reativação dos sentimentos de dependência oral do desenvolvimento humano, os quais se expressam pela capacidade de cuidar e de se envolver numa relação de intimidade, comumente negados na experiência masculina. .
3.

SUTTER, C.. Haiti, país mal dito. Revista Mal-Estar e Subjetividade (Impresso), v. X, p. 931-950, 2010.
Palavras-chave: processos mistificadores; sofrimento humano extremo; mal político; mal-estar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade. ; Meio de divulgação: Vários; Homepage: [http://www.unifor.br/malestarsubjetividade]; Série: n 3; ISSN/ISBN: 15186148.
O presente ensaio pretende compartilhar uma reflexão crítica construída durante um período no Haiti, antes do advento do terremoto, em que a autora participou de uma missão médica humanitária. Em face do Haiti ao vivo, questiona-se a imagem superficial que a opinião pública possui sobre o país, ignorandose tanto o estado de degradação humana em que se encontra a nação parcialmente revelada ao mundo depois do terremoto quanto as forças políticas e interesses econômicos internacionais que provocaram e sustentam esta realidade. Faz-se uma reflexão sobre os processos mistificadores, dos quais participam as agências internacionais de notícias, e sobre o mal político que historicamente tem mantido esta população em um estado de abandono e exploração, bem como em um estado perpétuo de sofrimento psíquico e humano extremo muito além da noção de mal-estar. A partir do contexto haitiano, apontam-se também os mecanismos que culpabilizam unicamente as nações pobres pelos seus males, ocultando os verdadeiros violadores dos direitos humanos e econômicos..

4. SUTTER, C.; MELO KING, A.. Vivendo sobre escombros: qualidade de vida no Haiti pós-terremoto.. Revista Salud & Sociedad, v. 3, p. 235-249, 2012.
Palavras-chave: Haiti; Terremoto; crise humanitária; Qualidade de vida.
Setores de atividade: Pesquisa e desenvolvimento científico. ; Meio de divulgação: Digital; Homepage: [http://www.saludysociedad.cl/index.php/main]; Série: 3; ISSN/ISBN: 07187475.
RESUMO Este artigo pretende lançar uma reflexão sobre a qualidade de vida no Haiti, após o terremoto, utilizando os domínios apontados pelo instrumento de avaliação da qualidade de vida da Organização Mundial da Saúde, o WHOQOL 100, como norteadores desta análise. A fim de organizar os dados colhidos in loco antes e depois da catástrofe, desdobramos estes domínios nas categorias contempladas pelas perguntas do referido instrumento: saúde e assistência médica; educação e acesso à informação; renda e profissão; segurança; meio ambiente; espaço físico e moradia; lazer e tempo livre; família e rede social; satisfação com a própria vida e perspectiva de vida; espiritualidade e crenças pessoais. Concluímos que um estudo sobre qualidade de vida no país deve considerar as particularidades das regiões e das condições socioeconômicas de sua população, bem como as características culturais, em que a resiliência e a religiosidade permeiam a maneira como enfrentam os reveses da vida. Considerando que o Haiti já se encontrava em uma situação de crise humanitária antes do terremoto, apontamos um possível impacto paradoxal da catástrofe sobre a população, com efeitos ora negativos sobre a segurança e os laços familiares, ora favoráveis sobre as condições de sobrevivência da população mais miserável..

Capítulos de livros publicados
1. SUTTER, C.. Família e novas formas de violência na contemporaneidade.. In: RODRIGUES, S. M. S.; BUCHER_MALUSCHKE, J. S. N. F.. (Org.). Família e novas formas de violência na contemporaneidade.. 1 ed. Curitiba, 2013, v. 1, p. 167-178.
Palavras-chave: família contemporânea; Violência; Autoridade paterna; Lealdade; Rede social.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Desenvolvimento Humano.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Número da revisão: 1; ISBN: 9788581921389.

Textos em jornais de notícias/revistas
1. SUTTER, C.. A Gestão Amorosa: Ponto de Vista.. Família/Famílias (Universidade Aberta, Jornal O POVO), Fortaleza.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso.
2. SUTTER, C.. A circularidade das relações. Caravana Solaris, Instituto Solaris, 04 jul. 1991.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Data de publicação: 04/07/1991.

Demais tipos de produção bibliográfica
1 SUTTER, C.; LOZA, Carlos Arturo Molina. Terapia Familiar Sistêmica de Milão. Conversações sobre teoria e prática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993. (Tradução/Livro).
Palavras-chave: Construtivismo; terapia familiar; Modelo de Milão; Consultoria.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Outros Setores.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Autor traduzido: Luigi Boscolo; Gianfranco Cecchin; Lynn Hoffman; Peggy Penn; Título da obra original: Milan Systemic Family Therapy; ISSN/ISBN: 615.851.6.

Produção técnica

Trabalhos técnicos
1. SUTTER, C.. Principais dificuldades das escolas vinculadas ao Projeto Jari. 1982.
Palavras-chave: aprendizagem; escola; contexto familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Educação Pré-Escolar e Fundamental.
Referências adicionais: Brasil/Português; Finalidade: Detectar as dificuldades vivenciadas pelos professores das três escolas vinculadas ao Projeto Jari.; Disponibilidade: Restrita; Duração do evento: 6; Nº páginas: 30; Cidade: Monte Dourado/ PA; Inst. promotora/financiadora: Fundação Educacional do Jari..
O presente trabalho técnico foi desenvolvido com o objetivo de identificar as principais dificuldades encontradas pelos professores das três escolas de ensino primário e fundamental do Projeto Jari, considerando que estas serviam a uma clientela muito variada, desde filhos de técnicos e engenheiros à filhos de peões, brasileiros e estrangeiros, em um contexto de isolamento geográfico e social. Foi realizado uma avaliação diagnóstica da realidade através de entrevistas conjuntas com todo o corpo docente, corpo técnico e direção das três escolas. A partir do resultado de tais entrevistas foi proposto um projeto de implantação do serviço de psicologia educacional nas respectivas escolas..
2. SUTTER, C.. Curso de Especialização em Abordagem Sistêmica da Família UNIFOR. 1990.
Palavras-chave: paradigma sistêmico; antropologia e sociologia da família; cultura nordestina; dinâmica familiar; família em situações especiais.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Educação Superior.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Finalidade: Curso de especialização; Disponibilidade: Restrita; Duração do evento: 15; Nº páginas: 0; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Universidade de Fortaleza.
3. SUTTER, C.; DIÓGENES, Glória. Consultoria às unidades de FEBEMCE.. 1996.
Palavras-chave: Menores infratores; Família; Unidades educacionai.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Desenvolvimento Humano / Especialidade: Desenvolvimento Social e da Personalidade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Finalidade: Avaliar as dificuldades encontradas na relação com as famílias dos menores infratores.; Disponibilidade: ; Duração do evento: 12; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Secretaria de Ação Social..
4. SUTTER, C.; DIÓGENES, Glória. Consultoria técnica das Unidades da Febemce.. 1997.
Palavras-chave: Família; adolescente infrator; abordagem sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Outro; Finalidade: Atendimento às famílias e aos adolescentes infratores; Disponibilidade: Restrita; Duração do evento: 11; Nº páginas: 0; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Fundação do Bem Estar do Menor.
5. SUTTER, C.; MACEDO, Isa Maria H de; MOURA, Sheylla. Curso de Especialização em Intervenção Sistêmica da Famíliar UFRN. 2002.
Palavras-chave: saúde coletiva; intervenção sistêmica da família; famíalis em situações de risco.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Educação Superior.
Referências adicionais: Brasil/Português; Finalidade: Curso de Especialização; Disponibilidade: ; Duração do evento: 14; Nº páginas: 0; Cidade: Natal; Inst. promotora/financiadora: Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
6. SUTTER, C.. Programa em saúde mental / MSF. 2008.
Palavras-chave: saúde coletiva; saúde mental; maternidade; crise humanitária.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Saúde e Serviços Sociais.
Referências adicionais: Haiti/Francês; Meio de divulgação: Outro; Finalidade: Atender as necessidades em saúde mental em um hospital maternidade e clinicas móveis; Disponibilidade: Restrita; Duração do evento: 10; Nº páginas: 6; Cidade: Porto Principe; Inst. promotora/financiadora: Médicos sem Fronteiras - Operational Center Amsterdam.
Programa desenvolvido para atender as necessidades em saúde mental em uma missão humanitária no Haiti. O objetivo da missão é a redução da mortalidade materna através de atendimento médico em um hospital maternidade e três clínicas móveis nas favelas de Solino, Pele Simon e La Saline. O programa em saúde mental consistiu em counseilling e grupos terapêuticos com as pacientes, psico educação, terapia familiar e formação em saúde mental para o staff nacional..
7. SUTTER, C.. Missão exploratória e projeto em saúde mental para as vítimas das enchentes dos municípios de Alagoas. 2010.
Palavras-chave: saúde mental; catastrofe natural; população em abrigo.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Setores de atividade: Saúde humana e serviços sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Outro; Disponibilidade: Restrita; Duração do evento: 1; Cidade: Branquinha, Murici, Santana do Mundaú, União dos Palmares; Inst. promotora/financiadora: Médicos sem Fronteiras.
Missão exploratória e elaboração de um plano de ação para as vítimas das enchentes dos municípios de Murici, Branquinha, União dos Palmares e Santana do Mundaú, com o propósito de implementar um programa em saúde mental para a população em abrigo..
8. SUTTER, C.; COLARES, Monica. Formação em terapia familiar sistêmica.. 2012.
Palavras-chave: terapia familiar; formação; abordagem sistêmica.
Referências adicionais: Brasil/Português; Finalidade: Curso de formação.; Disponibilidade: ; Duração do evento: 24; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Espaço Viver.

Demais tipos de produção técnica
1. SUTTER, C.. O Uso do Paradoxo na Terapia. 1986. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Palavras-chave: paradoxo terapêutico; teoria da comunicação; contos orientais.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: México; Cidade: San Miguel Allende; Evento: II Encuentro de Terapeutas Holisticos Tradicionales; Inst. promotora/financiadora: THT (Terapeutas Holisticos Tradicionales).
Resumo: O uso do paradoxo terapêutico é discutido como prática conhecida pelas escolas de ensinamento tradicionais, através dos contos orientais. Ilustra-se o tema através de contos de Nasrudin da tradição sufi..
2. SUTTER, C.; COLARES, Monica. Dinâmica Familiar do Esquizofrênico. 1991. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Palavras-chave: dinâmica familiar; teoria da comunicação; esquizofrenia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: UFC; Cidade: Fortaleza; Evento: XIV Jornada Cearense de Psiquiatria; Inst. promotora/financiadora: Sociedade Cearense de Psiquiatria.
Mini curso cujo objetivo é apresentar as teorias da abordagem sistêmica que correlacionam a dinâmica familiar e o padrâo comunicacional da família com o desenvolvimento da esquizofrenia..
3. SUTTER, C.. Por uma Nova Paternidade?. 1999. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Palavras-chave: nova paternidade; patriarcado; nova masculinidade.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Unifor; Cidade: Fortaleza; Evento: II Congresso Mal-Estar e Subjetividade; Inst. promotora/financiadora: Mestrado de Psicologia, Unifor.
Resumo: Na articulação entre a emergência de uma nova paternidade e o declínio do patriarcado, este trabalho aponta para as ambigüidades e contradições inerentes à família e à sociedade contemporânea, que tornam questionável e complexa a construção desse novo lugar para o universo masculino e familiar. .
4. LIMA, R. B.; COSTENARO, M. S.; CHAVES, I. G. et al. Do Caos Social ao Caos Familiar: uma família em busca de organização. 2003. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Palavras-chave: crise familiar; Pobreza; exclusão social; terapia familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Unifor; Cidade: Fortaleza; Evento: IV Encontro do Nucleo de Psicologia Aplicada / Unifor; Inst. promotora/financiadora: Curso de psicologia / Unifor.
Este trabalho procura contextualizar o processo terapêutico de uma família moradora da Favela do Dendê, atendida em terapia familiar nos três últimos semestres. A abordagem adotada é o enfoque sistêmico, que percebe a família como um organismo vivo, com história, estrutura e padrões de relacionamento singulares, ao mesmo tempo conectado a uma comunidade, a um contexto sócio-histórico-político que lhe afeta e que por ela é afetado. Na família em foco, veremos que o contexto interno , suas dificuldades e sofrimentos estão fortemente entrelaçados com a situação de exclusão e negligência social a que estão relegadas as famílias de baixa renda. À história familiar de desagregação, pobreza, lutos mal elaborados, soma-se a luta pela sobrevivência e a procura de um salvador que a una e organize. Paralelo à crise familiar, o contexto de violência e de falta de espaço na favela oprime esta família, que luta por seus sonhos e pela descoberta de seus recursos. A terapia familiar co-participa deste processo de busca por um diálogo e uma auto-organização possíveis, abrindo um espaço de escuta e fala, de apoio e construção que a sociedade não lhes têm propiciado. .
5. ARORA, S.; GIRÂO, E.; SUTTER, C.. Babel: uma análise das interconexões sistêmicas.. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).
Palavras-chave: pensamento sistêmico; complexidade; transversalidade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Unifor; Cidade: Forteleza; Evento: VII Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa / Unifor; Inst. promotora/financiadora: Unifor.
Este ensaio tem como intuito realizar uma reflexão sobre o filme Babel (2007) a partir do pensamento sistêmico, em que os diversos níveis da existência humana estão interconectados. Dessa forma, as circunstâncias apresentadas no filme são analisadas a partir do ponto de vista cultural, político, econômico, familiar, comunicacional e religioso. Tendo como referência os pressupostos do pensamento sistêmico instabilidade, intersubjetividade e complexidade detectamos que o roteiro do filme contempla tais pressupostos, porquanto podemos perceber que cada história relatada se conecta com as demais, a partir de uma lógica complexa e nas situações mais particulares., revelando a transversalidade dos fenômenos..
6. REBOUCAS, A.; BORIS, G. D. J. B.; SUTTER, C.. O Macho Cearense Revisitado: a relação com o próprio pai. 2007. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Palavras-chave: Masculinidade; paternidade; fenomenologia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Unifor; Cidade: Fortaleza; Evento: VII Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa / Unifor; Inst. promotora/financiadora: Unifor.
De que maneira é caracterizada a relação com seu pai? Havia diferenças de relação do seu pai com você e com os seus irmãos? Existiam toques e manifestações de carinho? Houve mudanças com o passar do tempo na relação com seu pai? O pai influenciou a relação com as mulheres e com os outros homens? O pai cobrava atitudes firmes, decididas e agressivas? Como se caracteriza a relação com seus filhos? Os filhos são mais próximos de você ou das mães? Você se percebe repetindo atitudes do próprio pai na relação com os filhos? Estas perguntas foram essenciais para a compreensão da relação desenvolvida por pais e filhos nas classes populares de Fortaleza, no que se refere à masculinidade. Desta forma, buscamos perceber os sentidos que os homens atribuem às suas vivências com seu pai assim como as questões que envolvem a construção da subjetividade masculina. Para esta pesquisa qualitativa foi utilizado o método fenomenológico visando investigar como a relação com o pai influenciou na vivência da masculinidade. Entrevistamos 21 homens adultos, entre 22 e 61 anos, que pertenciam às classes populares residentes em bairros da periferia de Fortaleza. A partir do material coletado realizamos as transcrições literais de cada depoimento, transformando-os em dados descritivos os quais possibilitaram o surgimento das tipologias nativas e, posteriormente, as analíticas a partir da interpretação dos dados, à luz dos aliados teóricos e dos relatos dos próprios entrevistados. Dos depoimentos, conclui-se que a relação com o pai, quando este estava presente, é um modelo significativo e fundamental na construção da identidade masculina, aqui incluídos tanto a dimensão do homem trabalhador quanto a do homem pai e chefe de família, tanto mais significativo quanto fortalecido por laços de afetividade. Os valores ensinados pelo pai o colocam em um lugar de respeito, senão de idealização, importante como norteador de como ser um homem socialmente coerente. Na passagem para a geração seguinte, este.
7. SUTTER, C.. Os Fios Invisíveis da Violência Conjugal e Familiar. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
Palavras-chave: Violência; ética; crenças.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Unifor; Cidade: Fortaleza; Evento: I Congresso Sul Americano: Violência, Culpa e Ato; Inst. promotora/financiadora: Mestrado de Psicologia, Unifor..
Partindo da definição de meio humano, como sendo organizado pelas dimensões da éticas, das crenças e da ambiência, situamos a expressão da violência no âmbito dessas três dimensões e com relação aos movimentos de pertencimento e diferenciação do grupo familiar. Constatamos que pacto, transgressão, culpa e inocência correspondem aos movimentos de coesão e ruptura, necessariamente presentes nas dinâmicas da família e do casal..
8. SUTTER, C.. Bases Biológicas do Fenômeno Social Humano. 2007. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Palavras-chave: autopoise; biologia da intimidade; linhagem neotênica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Unifor; Cidade: Fortaleza; Evento: II Mostra de Humanidades / Unifor; Inst. promotora/financiadora: UNIFOR.
Mini-curso: apresentação da teoria da autopoiese e da biologia da intimidade de Humberto Maturana como base do fenômeno social humano, o desenvolvimento da linguagem e da consciência..
9.

BORIS, G. D. J. B.; REBOUCAS, A.; SUTTER, C.. O Macho Cearense Revisitado: o homem na relação com o próprio pai.. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Palavras-chave: Masculinidade; paternidade; fenomenologia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Setores de atividade: Saúde e Serviços Sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Centro de Convenções; Cidade: Belém do Pará; Evento: VI Congresso Norte Nordeste de Psicologia; Inst. promotora/financiadora: Conselho Regional de Psicologia X Região e Unversidade Federal do Pará.
De que maneira é caracterizada a relação com seu pai? Havia diferenças de relação do seu pai com você e com os seus irmãos? Existiam toques e manifestações de carinho? Houve mudanças com o passar do tempo na relação com seu pai? O pai influenciou a relação com as mulheres e com os outros homens? O pai cobrava atitudes firmes, decididas e agressivas? Como se caracteriza a relação com seus filhos? Os filhos são mais próximos de você ou das mães? Você se percebe repetindo atitudes do próprio pai na relação com os filhos? Estas perguntas foram essenciais para a compreensão da relação desenvolvida por pais e filhos nas classes populares de Fortaleza, no que se refere à masculinidade. Desta forma, buscamos perceber os sentidos que os homens atribuem às suas vivências com seu pai assim como as questões que envolvem a construção da subjetividade masculina. Para esta pesquisa qualitativa foi utilizado o método fenomenológico visando investigar como a relação com o pai influenciou na vivência da masculinidade. Entrevistamos 21 homens adultos, entre 22 e 61 anos, que pertenciam às classes populares residentes em bairros da periferia de Fortaleza. A partir do material coletado realizamos as transcrições literais de cada depoimento, transformando-os em dados descritivos os quais possibilitaram o surgimento das tipologias nativas e, posteriormente, as analíticas a partir da interpretação dos dados, à luz dos aliados teóricos e dos relatos dos próprios entrevistados. Dos depoimentos, conclui-se que a relação com o pai, quando este estava presente, é um modelo significativo e fundamental na construção da identidade masculina, aqui incluídos tanto a dimensão do homem trabalhador quanto a do homem pai e chefe de família, tanto mais significativo quanto fortalecido por laços de afetividade. Os valores ensinados pelo pai o colocam em um lugar de respeito, senão de idealização, importante como norteador de como ser um homem socialmente coerente..

10. SUTTER, C.. Psicoeducação como estratégia de sensibilização aos direitos humanos: uma experiência no Haiti. 2009. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).
Palavras-chave: violência doméstica; violência sexual; psicoeducação; direitos humanos.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Hotel Kubitschek Plaza; Cidade: Brasília; Evento: VI Seminário Nacional de Psicologia e Direitos Humanos.; Inst. promotora/financiadora: Conselho Federal de Psicologia.
11. SUTTER, C.. Interfaces entre adolescência, violência e lazer. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
Palavras-chave: adolescência; violência estrutural; alienação; lazer.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Unifor; Cidade: Fortaleza; Evento: Seminário Ócio e Contemporaneidade; Inst. promotora/financiadora: Laboratório de Estudos sobre Ócio, Trabalho e Tempo Livre, Mestrado de Psicologia.
12. SUTTER, C.. Fome e desumanização. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
Palavras-chave: fome; desumanização; pobreza degradante; biologia do amar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: I Congresso de Estudos e Intervenções Psicanalíticas na Clínica e no Social: A experiência da fome na clínica e na cultura; Inst. promotora/financiadora: Mestrado de Psicologia, Unifor.
O Haiti vive uma longa crise humanitária, desde antes do advento do terremoto, devido à pobreza abjeta de sua população e à instabilidade política. A partir de uma missão realizada com uma organização médica humanitária para a redução da mortalidade materna em Porto Príncipe, são tecidas algumas reflexões sobre a relação entre o processo de desumanização e a fome. Propõe-se, como foco central de intervenção em tal contexto, o restabelecimento de relações humanas de atenção, cuidado e afeto como antídoto às consequências da desumanização..
13. SUTTER, C.; Haguette, Regina J.. Terapia familiar e constelação familiar: integrando diferentes técnicas sistêmcias. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Palavras-chave: terapia familiar; constelação familiar; técnicas complementares; diagnóstico.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Saúde humana e serviços sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Hotel Atlantico Búzios; Cidade: Buzios; Evento: IX Congresso Brasileiro de Terapia Familiar; Inst. promotora/financiadora: Associaçâo Brasileira de Terapia Familiar.
RESUMO: Relato da experiência sobre a integração da terapia familiar com a técnica da constelação familiar na clinica escola. O Serviço de Psicologia Aplicada da Universidade de Fortaleza inclui em seu programa um projeto de atendimento e estágio em terapia familiar desde 1994. Conveniados ao SUS, atendemos, sobretudo, famílias de baixa renda. Nos últimos anos, em virtude da complexidade dos casos atendidos pelo projeto, começamos a complementar experimentalmente os atendimentos com sessões de constelação familiar, aqui utilizada como técnica diagnóstica. Embora a terapia familiar tenha uma abrangência maior do que as terapias de cunho individual, ao trazer o sistema para o setting terapêutico, também a terapia familiar apresenta às vezes limitações, seja porque a questão transcende a compreensão racional ou consciente das pessoas implicadas no sistema presentes na sessão, seja pela impossibilidade de comparecimento de todos os membros da família, o que não é incomum na população de baixa renda. A técnica inspirada no trabalho de escultura de Virginia Satir e desenvolvida por Bert Hellinger com o nome de constelação familiar permite, neste sentido, apreender os emaranhamentos emocionais e trazer maior clareza sobre a dinâmica oculta da família, tanto para os terapeutas quanto para o membro da família convidado para participar da constelação. Por outro lado, para os alunos que estão em estágio, a participação em uma constelação permite uma compreensão mais profunda e vivencial das forças que atuam no sistema familiar, aqui chamado por Hellinger de ordens do amor. Na nossa experiência, a constelação familiar tem sido utilizada para situações de tentativa de suicídio, famílias com crianças em abrigo, morte por assassinato, depressão, abandono paterno, impasses conjugais, entre outros, tendo se mostrado de extrema riqueza e auxílio para a condução do caso..
14. SUTTER, C.. Contexto de crise humanitária: o que pode um terapeuta de família?. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Hotel Atlantico Búzios; Cidade: Buzios; Evento: IX Congresso Brasileiro de Terapia Familiar/ Encontro Latino Americano de Terapeutas Familiares; Inst. promotora/financiadora: Associação Brasileira de Terapia Familiar.
Relato de experiência sobre a atuação de uma terapeuta de família em um contexto de crise humanitária. Após uma temporada no Haiti trabalhando em um projeto para a redução da morbidade e da mortalidade materna, com a organização humanitária Médicos sem Fronteiras, a autora, responsável pela implementação de um programa em saúde mental, compartilha sua experiência e desafios encontrados. O projeto incluía um hospital maternidade e três clínicas móveis nas favelas de Porto Príncipe de maior risco, atendendo uma média de 2000 mulheres ao mês. Como parte do programa foi introduzida a abordagem sistêmica, envolvendo os familiares e os parceiros das pacientes, realizando visitas domiciliares e desenvolvendo o trabalho com a rede social. A despeito de muitas dificuldades relacionadas ao contexto do país o colapso da infra-estrutura social, o desemprego generalizado e a violência sexual e doméstica contra a mulher foi possível verificar a validade de envolver o sistema humano em torno da paciente na resposta às situações de crise pessoal que refletiam a crise humanitária maior em que se encontra a população haitiana. Da mesma forma, o envolvimento do staff médico e hospitalar na promoção da saúde mental das pacientes foi um divisor de águas na qualidade do atendimento. Como conclusão aponta-se a importância de programas em saúde mental em tais contextos e as múltiplas possibilidades de intervenção que uma perspectiva sistêmica proporciona..
15. SUTTER, C.; Haguette, Regina J.; ARAGÃO, Melina de Andrade. As provedoras do amor e limite: o difícil papel das avós no contexto das famílias de baixa renda.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Hotel Atlantico Búzios; Cidade: Buzios; Evento: IX Congresso Brasileiro de Terapia Familiar /Encontro Latino Americano de Terapeutas Familiares; Inst. promotora/financiadora: Associação Brasileira de Terapia Familiar.
A partir de experiências clínicas, vividas no Serviço de Psicologia Aplicada - SPA, vinculado ao Núcleo de Atenção Médico Integrada (NAMI), da Universidade de Fortaleza UNIFOR, pudemos observar diversas sinuosidades nos papéis desempenhados pelas avós, sejam paternas ou maternas, na família, em especial aquelas que assumem a educação dos netos. Não são raros os sistemas que tomam essa configuração, o que merece atenção cuidadosa e reflexão crítica. Percebemos que, em grande parte desses casos, são as avós que buscam o serviço de Psicologia, preocupadas com o desenvolvimento psicoafetivo dos netos ou em busca de apoio por não conseguirem disciplinar as crianças, estabelecer limites. São as avós que se responsabilizam por todo processo terapêutico com ausência quase que total dos pais biológicos. Muitas vezes, os mais velhos assumem o papel de criar os netos por questão de necessidade, filhos que trabalham o dia inteiro ou em outras cidades, adicção, por que não querem ver os netos em casas de adoção ou por que o (a) filho (a) inicia um novo casamento e o parceiro não se dispõe a assumir a criança do relacionamento anterior. Esse desenho familiar pode envolver infindáveis dinâmicas afetivas: avós que através dos netos buscam "pagar" uma dívida de amor ou de má criação para com o filho (a), famílias monoparentais, governadas, em geral, por mulheres, pais ausentes que delegam as mulheres o "fardo" de cuidar das crianças e que, por sua vez descarregam o peso sobre os ombros da avó ou mesmo mães que, por adicção, imaturidade ou impossibilidade entregam seus filhos às ex - sogras. Nesse sentido nos cabe perceber e analisar não somente a incapacidade parental dos pais, que abandonam seus filhos, mas também nos movimentos das avós que recebem as crianças e dispõem-se a alimentá - los e a suprir emocionalmente o desenvolvimento dos pequenos. Ainda que essas avós não possam dar conta integralmente da demanda afetiva dos netos, há, em geral, uma proposta de estabilidade, de.
16. FREIRE, B. P.; NEGREIROS, D. J.; MENESES, M. I. B. et al. XVI Encontro de Iniciação à Pesquisa. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Palavras-chave: visita domiciliar; terapia familiar; abordagem sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: XVI Encontro de Iniciação à Pesquisa; Inst. promotora/financiadora: Universidade de Fortaleza.
17. CARVALHO, Beatriz N.; SUTTER, C.. Famílias de baixa renda, autoridade parental e ideologia de consumo.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).
Palavras-chave: famílias de baixa-renda; autoridade parental; ideologia de consumo.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade Federal; Cidade: João Pessoa; Evento: I Semiário Nacional sobre Infância, Juventude e Políticas Públlicas.; Inst. promotora/financiadora: Senijup /NUPEDIA.
18. FREIRE, B. P.; ALMEIDA, L. N. L.; SUTTER, C.. Estudo de caso em abordagem sistêmica: uma evolução no sistema chamado família.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Palavras-chave: psicologia; abordagem sistêmica; psicoterapia familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: XVII Encontro de Iniciação à Pesquisa; Inst. promotora/financiadora: Universidade de Fortaleza.
19. FREIRE, B. P.; SUTTER, C.. A relevância da observação e prática clínica no aprendizado da abordagem sistêmica familiar.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Palavras-chave: psicologia; abordagem sistêmica; educação; atendimento clínico; monitoria.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: XVII Encontro de Iniciação à Pesquisa; Inst. promotora/financiadora: Universidade de Fortaleza.
20. CARVALHO, Beatriz N.; SUTTER, C.. Levantamento da rede social de Fortaleza.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: IV Jornada do Serviço de Psicologia Aplicada.; Inst. promotora/financiadora: SPA, Universidade de Fortaleza..
21. SUTTER, C.. Família e violência. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).
Palavras-chave: família contemporânea; contradição emocional; relação pais e filhos; Violência.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: I Seminário de estudos sobre a família.; Inst. promotora/financiadora: Laboratório de estudos de sistemas complexos, PPG - Unifor.
22. SUTTER, C.. Práticas psicológicas no enfrentamento de emergências e desastres.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
Palavras-chave: emergências e catástrofes; saúde mental; plano de intervenção.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: XVI Semana de psicologia da UNIFOR; Inst. promotora/financiadora: Universidade de Fortaleza.
23. SUTTER, C.. Psychoeducation as a strategy to face the culture of violence against women in Haiti. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Palavras-chave: domestic and sexual violence; psychoeducation; gender relationships; culture; dialogical self.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Estados Unidos/Inglês; Local: University of Georgia; Cidade: Athens, Georgia.; Evento: 7th International Conference on Dialogical Self; Inst. promotora/financiadora: ISDS - International Society for Dialogical Science.
Summary: Experience report of psycho-education work performed in a hospital maternity ward and mobile clinics in slums of Port au Prince, with women in pre-and postnatal. As part of a mental health program, psychoeducation strategy was found to act in the prevention of violence against women. Haiti has been experiencing a humanitarian crisis for a long time due to poverty and political instability. In this scenario, women are the most vulnerable population due to domestic violence and sexual assault, which in Port au Prince acquire frightening proportions. Pregnant women are no less spared. It is estimated that 20% of pregnancies are a result of rape. Many women and girls are stigmatized after suffering rape and only 30% of victims seek medical attention within 72h after been assaulted. From the observation that women naturalize many forms of violence inflicted, the goal of psycho-education was to sensitize of forms of violence in gender relations and introduce the notion of human rights violation. We supposed that bringing awareness of these subjects, women could protect them better. Psycho-education sessions were composed of two phases: a) presentation of the theme; b) sharing experiences and questions among the participants. Psycho-education arises, in this context of public health, as an important strategy not only for information and prevention, but in questioning traditional cultural values that place women in a place of submission and therefore risk, mystifying violence against her. In this sense, it favors the emergence of new conversations in which reality is co-constructed differently and where women's rights, as human rights, emerge as legitimate. .
24. OLIVEIRA, G.; PRATA, D.; BENEVIDES, M. G. et al. 7th International Conference on Dialogical Self. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Palavras-chave: transformation; dialogical self; violence.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.
Referências adicionais: Estados Unidos/Inglês; Local: University of Georgia; Cidade: Athens, Georgia; Evento: 7th International Conference on Dialogical Self; Inst. promotora/financiadora: ISDS - International Society for Dialogical Science.
Violence is a disturbing worldwide phenomenon, while data on illegal and hidden acts will always be hard to come by, reports by national and international human rights organizations show that violence is an overwhelming public health problem. The strategies for redefining of the roles and practices of professionals in health and education in fighting violence emerge in this context. In this session research reports will be presented as results of therapeutic and educational interventions with groups in situations of violence. First, Marinina Gruska Benevides will report two experiences of psychotherapeutic work based on wheels of conversation, focusing on the behavior of men who committed crimes of domestic violence against women. Next, Marinina Gruska Benevides and Daniele Gruska Benevides Prata will present a trajectory of vocational and professional guidance for adolescents in conflict with the law. Then Christina Sutter will report an experience of psychoeducation work performed in a hospital maternity ward and mobile clinics in the slums of Haiti. Finally, Gerson Augusto de Oliveira Júnior discusses the ways education based on dialogical strategies contributes to politicalchanges to face the violence against the Tremembé Indians. The ninety minutes of this session will be divided equally between the presenters. The presenters of this session aim to facilitate the transformation of social reality in different contexts by offering ways for a dialogical construction of a culture of peace..
25. SUTTER, C.. Crise humanitária, catástrofe natural e qualidade de vida.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Centro de Eventos; Cidade: Fortaleza; Evento: 8 Compsi; Inst. promotora/financiadora: Conselho Federal de Psicologia.
26. SUTTER, C.. O Uso da constelação familiar como técnica diagnóstica no projeto de terapia familiar do SPA- Unifor. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Centro de Eventos; Cidade: Fortaleza; Evento: 8 Compsi; Inst. promotora/financiadora: Conselho Federal de Psicologia.
27. SUTTER, C.. Práticas de socialização de famílias em situação de vulnerabilidade social.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: I Mostra de Trabalhos do Lesplexos: Famílias em contexto.; Inst. promotora/financiadora: Lesplexos: Universidade de Fortaleza..
28. BARRETO, M. A.; SUTTER, C.. Expandindo os horizontes na clínica: da terapia familiar ao acompanhamento terapeutico.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Evento: VI Jornada do Serviço de Psicologia Aplicada.; Inst. promotora/financiadora: Universidade de Fortaleza..
29. SUTTER, C.. A abordagem sistêmica no contexto psicológico.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).
Referências adicionais: Brasil/Português; Local: Estácio/FIC; Cidade: Fortaleza; Evento: II Semana de Psicologia da Estácio/FIC.; Inst. promotora/financiadora: Estácio/FIC.
30 SUTTER, C.. Psicologia do Trabalho. 1984. .
Palavras-chave: atuação profissional; inter-relações humanas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 40; Local: Fundação Educacional do Jari; Cidade: Monte Dourado / PA; Inst. promotora: Fundação Educacional do Jari.
31 SUTTER, C.. Técnicas de Terapia Familiar Sistêmica. 1988. (Curso de curta duração ministrado/Outra).
Palavras-chave: entrevista sistêmica; uso de prescrições; atendimento em co-terapia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Formação Permanente e Outras Atividades de Ensino, Inclusive Educação À Distância e Educação Especial.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 40; Local: Instituto Solaris; Cidade: Rio de Janeiro; Inst. promotora: Instituto Solaris.
32 SUTTER, C.; RADICE, Janine. Vida em Família. 1988. (Curso de curta duração ministrado/Outra).
Palavras-chave: comunicação pais e filhos; crise familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 20; Local: Escola Vila; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Escola Vila.
33 SUTTER, C.. Psicodinâmica da Família. 1988. (Curso de curta duração ministrado/Outra).
Palavras-chave: ciclo vital da família; lealdades e regras familiares.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Formação Permanente e Outras Atividades de Ensino, Inclusive Educação À Distância e Educação Especial.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 20; Local: Escola Vila; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Escola Vila.
34 SUTTER, C.. Introdução à Terapia Familiar Sistêmica. 1989. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).
Palavras-chave: crise familiar; pacientes terminais; intervenção sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 30; Local: Bibioteca Central de UFES; Cidade: Vitória; Inst. promotora: Unversidade Federal do Espirito Santo.
35 SUTTER, C.. Dinâmica Familiar. 1999. .
Palavras-chave: sistema familiar; sintoma.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 20; Local: Casa de Saúde São Gerardo; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Universidade Federal do Ceará.
36

SUTTER, C.. Intervenção Sistêmica da Família. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).
Palavras-chave: paradigma sistêmico; ciclo vital da família; teoria da comunicação; estrutura familiar; mitos; intervenção sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 160; Local: Curso de Saúde Coletiva; Cidade: Natal; Inst. promotora: Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

37 SUTTER, C.. Aspectos de Dinâmica Familiar. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).
Palavras-chave: sistema familiar; lealdades; fronteiras; ciclo vital da família; saúde mental.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 24; Local: Curso de especialização em Saúde da Família; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Universidade de Fortaleza.
38 SUTTER, C.. I Curso de Capacitação de Profissionais de Saúde e Educação na Abordagem Sistêmica da Família. 2004. .
Palavras-chave: antropologia e sociologia da família; dinâmica familiar; abordagem sistêmica; lealdades e regras familiares.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 16; Local: Centro de Saúde Reprodutiva Leide Morais; Cidade: Natal; Inst. promotora: Ministério da Saúde/ ONG Canto Jovem.
39 SUTTER, C.. Curso de Formação Especializada em Psicomotricidade Relacional.. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).
Palavras-chave: abordagem sistêmica; pramática da comunicação; teoria da complexidade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 24; Local: CIAR Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Centro Internacional de Análise Relacional.
Docente dos módulos Abordagem Sistêmica e Teoria da Comunicação..
40 SUTTER, C.. Capacitação em Atenção Psicossocial. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Outra).
Palavras-chave: perspectiva sistêmica; dinâmica familiar; terapia familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 8; Local: Colégio Batista Santos Dumont; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Insitiuto Episteme.
41 SUTTER, C.. Abordagens Terepêuticas em Saúde Mental / Terapia Familiar. 2006. .
Palavras-chave: paradigma sistêmico; saúde mental.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde e Serviços Sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 4; Local: Sociedade Cearense de Psiquiatria; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Sociedade Cearense de Psiquiatria.
42 SUTTER, C.. Curso de Especialização em Tanatologia. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).
Palavras-chave: ciclo vital da família; paradigma sistêmico.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde e Serviços Sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: Docente; Duração do evento: 8; Local: Centro de Estudos em Tanatologia; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Centro de Estudos em Tanatologia / Perspectiva Sistêmica da Família.
43 SUTTER, C.. Práticas grupais - curso de residência médica.. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).
Palavras-chave: práticas grupais; terapia familiar; saúde mental.
Referências adicionais: Brasil/Português; Unidade: horas; Tipo de participação: ; Duração do evento: 3; Local: Hospital Mental de Messejana; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Hospital Mental de Messejana.
44 SUTTER, C.. Práticas grupais - curso de residência médica.. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).
Palavras-chave: práticas grupais; terapia familiar; saúde mental.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de participação: ; Local: Hospital Mental de Messejana; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora: Hospital Mental de Messejana.
45 BUCHER, Júlia Sursis Ferro Nobre; FORTUNATO, L.; LOZA, Carlos Arturo Molina et al. 3 Encontro Brasileiro de Terapeutas de Família. 1992. (Organização de evento/Congresso).
Palavras-chave: terapia familiar; formação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Evento itinerante: Não; Duração do evento: 1; Local: Hotel Nacional; Cidade: Brasilia; Inst. promotora/financiadora: CEFAM e UNIFOR.
46 SUTTER, C.; BORGES, Paulo Parente. I Jornada do Instituto Gaia. 2004. (Organização de evento/Outro).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Brasil/Português; Evento itinerante: Não; Duração do evento: 1; Local: Instituto Gaia; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Instituto Gaia.
47 SUTTER, C.; BORGES, Paulo Parente. II Jornada do Instituto Gaia. 2005. (Organização de evento/Outro).
Referências adicionais: Brasil/Português; Evento itinerante: Não; Duração do evento: 1; Local: Instituto Gaia; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Instituto Gaia.
48 SUTTER, C.; BORGES, Paulo Parente. III Jornada do Instituto Gaia. 2006. (Organização de evento/Outro).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Brasil/Português; Evento itinerante: Não; Duração do evento: 1; Local: Instituto Gaia; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Instituto Gaia.
49 SUTTER, C.; RAMOS, Dagmar; PASSOS, Patrícia. Palestra e lançamento do livro "Viver na Alma" de Joan Garriga e seminário. 2011. (Organização de evento/Outro).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Evento itinerante: Não; Duração do evento: 1; Local: Teatro Celina Queiroz; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Universidade de Fortaleza e Instituto Brasileiro de Soluções Sistêmicas.
50 Normanda Araújo de Morais; SUTTER, C.. I Seminário de Estudos sobre Família. 2012. (Organização de evento/Outro).
Palavras-chave: Família; abordagem sistêmica; políticas públicas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Vários; Evento itinerante: Não; Duração do evento: 1; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Laboratório de Estudos dos Sistemas Complexos: casais, famílias e comunidades, Unifor..
Primeiro seminário organizado pelo Lesplexos, Laboratório de Estudos dos Sistemas Complexos do Programa de pós-graduação do curso de psicologia da Universidade de Fortaleza. O seminário teve como tema principal os desafios à família na contemporaneidade, voltando-se também para as políticas públicas na assistência social e na saúde..
51 NOAL, Débora da Silva; SUTTER, C.. Saúde Mental em Contexto de Emergência e Catástrofe. 2012. (Organização de evento/Outro).
Palavras-chave: saúde mental; emergência; catastrofe natural.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Digital; Evento itinerante: Não; Duração do evento: 1; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Universidade de Fortaleza.
52 PRATA, Marinina Gruska Benevides; SUTTER, C.; REBOUCAS, A.. II Diálogos sobre Violência Doméstica e Familiar. 2012. (Organização de evento/Outro).
Palavras-chave: violência doméstica; lei maria da penha; justiça restaurativa; roda de conversa.
Referências adicionais: Brasil/Português; Evento itinerante: Não; Duração do evento: 1; Local: Universidade de Fortaleza; Cidade: Fortaleza; Inst. promotora/financiadora: Unifor, Núcleo de Apoio a Pessoas em Situação de Violência Doméstica e Familiar..
53 SUTTER, C.. O Amor no Divâ. 2000. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).
Referências adicionais: Brasil/Português; Tema: Terapia de casal; Emissora: Jornal O Povo, caderno Ciência e Saúde..
54 SUTTER, C.. Nascemos todas para ser mães?. 2001. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).
Referências adicionais: Brasil/Português; Tema: Amor materno; Emissora: Jornal o Povor, caderno Delas.
55 SUTTER, C.; CAVALCANTE, L.. Projeto Cineclube Unifor. 2007. (Programa de rádio ou TV/Comentário).
Referências adicionais: Brasil/Português; Tema: Filme O Clube da Felicidade e da Sorte - tema: transmissão geracional.; Duração do evento: 60; Emissora: TV Unifor.
56 SUTTER, C.. Cineclube Unifor. 2010. (Programa de rádio ou TV/Comentário).
Referências adicionais: Brasil/Português; Tema: Valsa com Bashir - trauma de guerra.; Duração do evento: 60; Emissora: TV Unifor.
57 SUTTER, C.. Cinema de Arte de Fortaleza. 2010. (Programa de rádio ou TV/Comentário).
Referências adicionais: Brasil/Português; Tema: Filme Bons Costumes - tema: relações familiares.; Duração do evento: 60.
58 SUTTER, C.. Cineclube Unifor. 2011. (Programa de rádio ou TV/Comentário).
Referências adicionais: Brasil/Português; Tema: Festa de Família; Duração do evento: 60; Emissora: TV Unifor.
59 SUTTER, C.. Cineclube Unifor. 2012. (Programa de rádio ou TV/Comentário).
Referências adicionais: Brasil/Português; Tema: Precisamos falar sobre Kevin; Duração do evento: 60; Emissora: TV Unifor.

Orientações concluídas

Aperfeiçoamento/Especialização
1. Marinina Gruska Benevides Prata. A Delinquência Juvenil. Uma abordagem sistêmica. 1991. 32 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: delinquência juvenil; perspectiva sistêmica; inter-relações humanas; identidade social.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
2. Georgia Sibele Nogueira da Silva. Proposta de uma Abordagem Sistêmica na Assitência ao Paciente Hanseniano Assistido pelo Hospital Rafael Fernandes.. 1991. 44 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: hanseníase; abordagem sistêmica; aspectos sociais; aspectos jurídicos; assistência psicossocial.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
3. João Jorge Raupp Gurgel. A Criança que Queria Morrer. 1991. 40 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: creche; serviço de psicologia; situações de conflito; abordagem sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
4. Luana de Alencar Araripe Andrade. Visão Sistêmica das dificuldades de Aprendizagem no Processo de Alfabetização de uma Escola de Classe Média.. 1991. 29 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: alfabetização; desenvolvimento infantil; dificuladades de aprendizagem; famílias disfuncionais; visão sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
5. Silena Maria Franklin de Souza. Orientação Vocacional numa Perspectiva Sistêmica. 1991. 34 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: orientação vocacional; adolescência; mercado de trabalho; influência familiar; perspectiva sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
6. Yolanda Teixeira Araújo. A Utilização de Visão Sistêmica com Famílias de Crianças Atendidas em Ludoterapia. 1991. 32 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: ludoterapia; abordagem centrada na pessoa; dinâmica familiar; visão sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
7. Aurea Sousa. A Compreensão Sistêmica da Queda de Rendimento dos Alunos da 5a série.. 1991. 27 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: queda de rendimento escolar; aprendizagem; puberdade; mudança curricular; dinâmica familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
8. Alcione Maria Fernandes Almeida. A Dinâmica Familiar como uma Variável que Interfere na Aprendizagem. 1991. 30 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: famílias disfuncionais; dificuladades de aprendizagem; ciclo vital da família; crises situacionais.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
9. Miriane Dantas Fernandes. Sexualidade na Adolescência: alguns fatores que influem no desenvolvimento da sexualidade.. 1991. 30 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: sexualidade; adolescência; Família; orientação sexual; comunicação; educação afetiva.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
10. Terezinha Teixeira Joca. Orientação Psicopedagógica Baseada na Visão Sistêmica.. 1991. 25 f. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Família: Uma Abordagem Sistêmica) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: orientação psicopedagógica; escola; Família; paciente identificado.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.

Orientações de outra natureza
1. Jaqueline Kauffman. A Família e Sua Influência no Futuro das Gerações. 2002. 0 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: repetições familiares; lealdades; padrões de comportamentos; mitos familires.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Este trabalho busca analisar, sob a luz da teoria sistêmica, repetições de padrões de comportamento e de relação em uma determinada família, através do estudo de caso de dois membros da mesma. Podemos perceber o poder das relações sobre todo o sistema familiar, através dos mitos e lealdades que, capturando as gerações, faz com que estas repitam alguns padrões sofridos na geração passada, influenciando diretamente as suas vidas e seus relacionamentos. .
2. Andrea de Fátima Clemente Caetano Palácio. A Influência de Padrões Familiares ao Longo das Gerações. 2005. 16 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: Transtorno de Pânico; padrões transgeracionais; genograma.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Com base no estudo de caso de um paciente com transtorno de pânico, investiga-se as possíveis ligações existentes entre a dinâmica familiar transgeracional do paciente e sua doença. Como instrumento de investigação utiliza-se do genograma com o intuito de identificar padrões geracionais com os quais é possível estabelecer tal conexão..
3. Cybelle Maria Morais Mendonça de Carvalho. A Ausência do Pai no Processo Psicoterapêutico. 2005. 15 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: Psicoterapia infanto-juvenil; modelo familiar; ausência paterna.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Observa-se que no processo psicoterapêutico com crianças e adolescentes, a ausência e/ou resistência da figura paterna sempre foi um fato inquietante. As mudanças socioculturais que vêm se desenvolvendo a partir das últimas décadas, principalmente a emancipação da mulher e sua inserção no mercado de trabalho, têm alterado a dinâmica familiar e forçado o surgimento de um novo modelo de pai que seja participativo. Isto se revela de maneira ainda tímida nos consultórios psicológicos. Uma reflexão sobre o assunto e a sugestão de medidas passíveis de adoção no processo psicoterapêutico, no intuito de reverter esta situação, são despertadas no presente artigo. .
4. Kelly Karina Fernandez Diniz. Sobre o Amor Materno.. 2005. 12 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: amor materno; biologia da intimidade; aspectos culturais; políticas públicas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Este artigo apresenta uma revisão bibliográfica sobre o amor materno na tentativa de compreender como ele se manifesta nas mulheres. Para tanto, propõe uma leitura deste amor através da teoria da complexidade, segundo a qual todos os fenômenos humanos são concebidos como produto de uma relação inextricável entre a biologia e a cultura. Conclui através de uma proposta para as políticas públicas, não calcada em preconceitos do senso-comum, a fim de que estas possam incluir um novo conceito de amor materno..
5. Célia Guilherme Xavier de Lima. Contexto Famliar na Anorexia Nervosa: o Enfoque da Psicanálise e da Abordagem Sistêmica. 2005. 16 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: anorexia nervosa; abordagem sistêmica; abordagem psicanalítica; contexto familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Este trabalho apresenta um estudo realizado através de revisão bibliográfica, buscando compreender a contribuição do contexto familiar na precipitação e perpetuação da anorexia nervosa, sob o enfoque da abordagem sistêmica e da psicanálise. Conclui-se que os dois referenciais teóricos se complementam dando um panorama multidimensional da anorexia nervosa..
6. Maria de Fátima Lemos Pereira Cândido. Educação e Alteridade: desafios e perspectivas à luz das reflexões de Paulo Freire e Humberto Maturana.. 2005. 15 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: educação; autonomia; alteridade; ética.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
O presente trabalho objetiva, à luz dos teóricos Paulo Freire e Humberto Maturana, entender a escola como local físico e humano: lugar privilegiado da educação onde se inicia a vida pública, ensinando as pessoas a se democratizarem e onde a diferença humana está ressaltada pela individualidade e não pelo individualismo. O princípio de igualdade deve reger as relações entre os seres humanos. Por isso a temática da alteridade presente nas reflexões de Freire e Maturana constitui a pedra angular na busca de intensificar uma linha de ação pedagógica que privilegia uma abordagem ética do cotidiano da vida humana atual..
7. Cláudia Egypto Machado. Gravidez Tardia e Doação de Óvulos: à procura de uma segunda chance.. 2005. 15 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: infertilidade conjugal; gravidez tardia; doação de óvulos; família contemporânea.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Este trabalho tem como objeto de estudo a inferilidade conjugal, realidade enfrentada por muitas mulheres que escolheram adiar a maternidade em prol da estabilização profissional. Diante da limitação imposta pelo corpo, a tecnologia tem oferecido uma alternativa por meio da doação de óvulos. Procura-se refletir sobre essa prática, pela análise de sua repercussão tanto para o casal quanto para a própria concepção de família da sociedade contemporânea..
8. Andrea Mendes Leão. Mutismo Seletivo Além da Psiquiatria: uma visão sistêmica.. 2005. 12 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: mutismo seletivo; visão sistêmica; contexto familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Este trabalho apresenta um estudo acerca do mutismo seletivo a partir do relato de seis casos clínicos de crianças, visando verificar a participação da família no estabelecimento e/ou manutenção dos sintomas apresentados. De acordo com o estudo realizado, o mutismo seletivo apresenta-se como reflexo de dificuldades relacionais familiares. Aponta-se a importancia do envolvimento da família no tratamento..
9. Ana Amélia Mendes Barros Lima. Escolha do Cônjuge: Descortinando o Significado da Relação Pai e Filha.. 2005. 13 f. Orientação de outra natureza - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: escolha do cônjuge; relação pai e filha; identidade feminina.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Este estudo objetiva compreender a relação entre a escolha do cônjuge e o relacionamento entre pai e filha, tomando por base a percepção do vínculo estabelecido por mulheres que estão no primeiro casamento. Foram entrevistadas dez mulheres de classe média de Fortaleza. Como resultado contata-se que a relação estabelecida entre pai e filha é determinante para a auto-imagem da mulher, o que influenciará a forma como esta se relacionará com os homens e, por conseguinte, a escolha conjugal..
10. Ivna Rodriguez Mesquita. Análise dos papéis da família assumidos pela escola. 2007. Orientação de outra natureza. (Especialização em Abordagem Sistêmica da Família) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: infância; funções da família; papel da escola.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Profissionais que atuam no âmbito escolar tem percebido que cada vez mais a escola tem se responsabilizado por funções que antes eram responsabilidades da família. Neste artigo teórico realizo um resgate histórico do surgimento do sentimento de infância e da escola, bem como relato as transformações sofridas pela instituição familiar ao longo dos séculos, até os dias de hoje. Tais transformações interferem no esvaziamento dos papéis da família e na acumulação de papéis da escola. Ao final, ressaltamos a importância de uma relação sadia entre a família e a escola..
11. Natalia Bezerra de Menezes Mota. Educação para a competitividade: reflexões à luz da teoria de Maturana. 2007. Orientação de outra natureza. (Especialização em Abordagem Sistêmica da Família) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: educação; competitividade; biologia da intimidade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
O presente artigo visa a abordar a questão da competitividade atualmente muito marcante na educação brasileira, relacionando com as reflexões de Humberto Maturana sobre o ser humano, a sociedade e a educação em sua Biologia do Amar. Fazendo um resgate do perfil da educação ao longo dos anos no Brasil, observamos mudanças, que geralmente estavam associadas ao panorama político e econômico. Nos tempos atuais vemos que a educação assume um caráter competitivo, incentivando a individualidade, a disputa e a busca pelos melhores resultados, além de ter um enfoque no desenvolvimento de competências. Maturana, em sua teoria, questiona a forma como estamos educando no presente, mostrando que esses princípios vão de encontro ao que é próprio do humano. Buscamos com este estudo abordar a forma que a educação assume no momento e o que a motivou a chegar aqui desta maneira. Relacionaremos a educação e seus valores na contemporaneidade como as idéias de Humberto Maturana sobre o ser humano, a sociedade e a educação..
12. Eneida Brasil Ferreira. Obesidade e Família. 2007. Orientação de outra natureza. (Especialização em Abordagem Sistêmica da Família) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: obesidade; dinâmica familiar; coesão; hierarquia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Saúde humana e serviços sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Objetivamos investigar se a família de indivíduos obesos tem um padrão de interação disfuncional, que poderia estar associado ao surgimento da obesidade. Neste trabalho qualitativo empírico, foi utilizado o instrumento FAST (GEHRING, 1993), que possibilitou conhecer a percepção de família dentro dos contextos: típico, ideal e conflituoso. A coesão e a hierarquia foram identificadas dentro do sistema familiar dos pesquisados. Foram sujeitos deste estudo 6 pessoas, 5 do sexo feminino e 1 do sexo masculino, com idade entre 24 e 33 anos, dos quais 4 eram obesos mórbidos e 2, obesos; 1 dos sujeitos realizou cirurgia bariátrica. A aplicação ocorreu no período de janeiro a abril de 2008. Os resultados indicam a presença de características disfuncionais nestas famílias. Resultados: na representação típica, houve heterogeneidade com 2 balanceadas, médias balanceadas e não- balanceadas; na representação ideal, houve uma predominância da balanceada; na representação de conflito, todas as famílias foram classificadas como não- balanceadas. Os sujeitos pesquisados indicam, através dos discursos, a presença de características disfuncionais nas suas famílias, como baixa coesão e desequilíbrio de poder, com fatores de risco expressivos para o desenvolvimento. .
13. Esterfânia Maria Barbosa Girão. Família e Direitos Humanos: construindo caminhos. 2007. Orientação de outra natureza. (Especialização em Abordagem Sistêmica da Família) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: direitos humanos; políticas públicas; Família.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Setores de atividade: Saúde humana e serviços sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
O artigo tem como objetivo promover uma reflexão sobre políticas públicas a partir dos ideais da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Esta Declaração é um dos documentos fundamentais da Organização das Nações Unidas (ONU), foi assinada em 1948 e nela são enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Com base em artigos inerentes a essa Declaração, pretende-se analisar, especificamente, quais são os aspectos dos direitos humanos contemplados nas principais políticas públicas voltadas para o atendimento a famílias na cidade de Fortaleza. A metodologia utilizada para tal estudo irá se constituir de uma pesquisa bibliográfica sobre o tema em discussão e de outra pesquisa sobre os programas de políticas públicas desenvolvidos pela prefeitura municipal que trabalham com famílias na cidade de Fortaleza..
14. Raquel Brasil Lima. A individuação pensada sistêmicamente. 2007. Orientação de outra natureza. (Especialização em Abordagem Sistêmica da Família) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: emaranhamento familiar; individuação; paciente identificado; sintoma.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Saúde humana e serviços sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
O artigo discute a imbricada relação entre indivíduo e família, com as conseqüentes influências de um sobre o outro, enfatizando as famílias de dinâmica emaranhada e as repercussões desse funcionamento no referente ao processo de individuação dos seus membros. Ressalta a importância incontestável de um olhar sistêmico sobre os pacientes atendidos individualmente, assim como um olhar psicodinâmico dos pacientes atendidos em família, apontando para possíveis e recorrentes interfaces entre a abordagem sistêmica e a psicologia analítica. Essa perspectiva possibilita uma compreensão mais ampla da realidade, e contribui efetivamente para uma prática clínica menos fragmentada, cartesiana e redutiva. .
15. Tereza Sylvia de M. Guimarães. O que está por tras do abuso sexual: um estudo de caso. 2007. Orientação de outra natureza. (Especialização em Abordagem Sistêmica da Família) - Universidade de Fortaleza. Orientador: Christina Sutter.
Palavras-chave: abuso sexual; conjugalidade; dissolução de fronteira; parentalização.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Saúde humana e serviços sociais.
Referências adicionais: Brasil/Português; Tipo de orientação: Orientador principal.
Este artigo focaliza um tipo específico de violência familiar (abuso sexual incestuoso) e reúne reflexões surgidas com base na sua análise e das considerações presentes na revisão bibliográfica. O texto relata o estudo de caso de uma criança de cinco anos de idade, do sexo feminino, vítima de negligência familiar, agressões físicas e violência sexual em seu âmbito familiar, atendida pelo Núcleo Estadual de Enfrentamento a Violência contra Crianças e Adolescentes. Os objetivos deste trabalho foram: propiciar uma compreensão mais sistêmica acerca do abuso sexual intrafamiliar, possibilitar um maior entendimento sobre a dinâmica familiar das instituições nas quais é perpetrado o abuso incestuoso e suscitar alguns pontos éticos referentes a esta temática. A metodologia utilizada para a realização deste escrito constituiu-se de um estudo de caso com suporte na análise do prontuário da criança vitimada..
Voltar


Dados Complementares
Participação em bancas examinadoras Participação em eventos

Participação em bancas examinadoras

Dissertações
1. SILVA, Fatima Sampaio; MAMEDE, Ines et al. Participação em banca de Maria Cílvia Queiroz Farias. Dimensões e Significados da Aquisição da Leitura-escrita no Contexto Familiar de Crianças entre 5 e 6 anos. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Ceará.
Palavras-chave: leitura e escrita; significados; contexto familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/Português.
Participação na qualidade de consultante da Comissão Examinadora na Defesa de Projeto de Dissertação de Mestrado..

Trabalhos de Conclusão de Curso de graduação
1. PULICE, AMATO, Marco Antoni; SUTTER, Christina. Participação em banca de Carolina Carneiro Rocha. Interfaces entre J.L. Moreno e Bert Hellinger no estudo da dinâmica vincular. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) - Universidade Federal do Ceará.
Palavras-chave: constelação familiar; psicodrama.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.
Referências adicionais: Brasil/Português.

Participação em eventos
1. . 1985. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
2. . 1989. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
3. . 1991. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
4. Painel Proposta Holística para o Futuro da Família. 1993. (Participações em eventos/Congresso).
Palavras-chave: Urbanização; Crise da família; Vida comunitária.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
5. . 1993. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
6. Relatora de mesa redonda: Violência na Família. 1996. (Participações em eventos/Congresso).
Palavras-chave: Família de baixa renda; carência emocional; mal-trato infantil.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
7. . 1996. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
8. . 1997. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
9. . 1997. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
10. . 1998. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
11. Por uma Nova Paternidade?. 1999. (Participações em eventos/Congresso).
Palavras-chave: paternidade; patriarcado; relações de gênero; mal-estar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Brasil/.
12. . 1999. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
13. O Estranho que é Familar. Estudo Micro-etnográfico de familiarização cultural na busca do auto-desenvolvimento. 2000. (Participações em eventos/Congresso).
Palavras-chave: subjetividade; auto-desenvolvimento; diferenças culturais.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Brasil/.
14. Coordenadora de mesa redonda A Arte e o Sintoma Social Contemporâneo. 2000. (Participações em eventos/Congresso).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Brasil/.
15. . 2000. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
16. Apresentação de painel: Paternidade Participativa. 2001. (Participações em eventos/Congresso).
Palavras-chave: pais cuidadores; gênero masculino; subjetividade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
17. Apresentação de tema livre: Atendimento de Casais: Impasses da Relação. 2001. (Participações em eventos/Congresso).
Palavras-chave: impasses terapêuticos; impasses conjugais; terapia conjugal.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
18. . 2001. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
19. Presidente de mesa redonda Violência no Ciclo de Vida: adulto e idoso. 2002. (Participações em eventos/Congresso).
Palavras-chave: Violência; ciclo vital da família; adolescência.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
20. Colóquio inicial: conversações sobre conversações transformadoras.. 2004. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
21. Mini-curso As Novas Configurações Familiares Hoje. 2005. (Participações em eventos/Congresso).
Palavras-chave: Crise da família; envolvimento paterno; famlias recompostas; familias homossexuais; futuro da família.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
22. Família em Situações Especiais. 2006. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
23. Os Fios Invisíveis da Violência Familiar e Conjugal. 2007. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
24. . 2007. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
25. Biologia do Amarr. 2008. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
26. O Macho Cearense Revisitado. 2009. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
27. Fome e Desumanização. 2010. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
28. Terapia Familiar e constelação familiar: integrando diferentes técnicas sistêmicas. 2010. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
29. Contexto de crise humanitária: o que pode um terapeuta de família?. 2010. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
30. As provedoras do amor e limite: o difícil papel das avós no contexto das famílias de baixa renda.. 2010. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
31. Do sintoma individual à complexidade das relações: apresentação de um caso clínico.. 2010. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
32. Psychoeducatioin as a strategy to face the culture of violence against women in Haiti. 2012. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Estados Unidos/; Homepage: http://www.coe.uga.edu/dialogicalself2012/.
33. O USO DA CONSTELAÇÃO FAMILIAR COMO TÉCNICA DIAGNÓSTICA NO PROJETO DE TERAPIA FAMILIAR DO SPA UNIFOR.. 2013. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/; Homepage: http://www.conpsi.org.br/anais/.
34. CRISE HUMANITÁRIA, CATÁSTROFE NATURAL E QUALIDADE DE VIDA. 2013. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/; Homepage: http://www.conpsi.org.br/anais/.
35. CRISE HUMANITÁRIA, CATÁSTROFE NATURAL E QUALIDADE DE VIDA. 2013. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/; Homepage: http://www.conpsi.org.br/anais/.
36. Práticas de socialização de famílias em situação de vulnerabilidade social.. 2014. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
37. A técnica da constelação familiar como supervisão clínica.. 2014. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
38. Alienação parental e os limites da clínica.. 2014. (Participações em eventos/Congresso).
Referências adicionais: Brasil/.
39. . 1987. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
40. Apresentação de trabalho: A Família Risonha:um estudo de caso de uma família de baixa renda com organização psicótica.. 1997. (Participações em eventos/Seminário).
Palavras-chave: Psicose; Família de baixa renda; cultura nordestina.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
41. . 1997. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
42. Mesar redonda: Terapia de Família e Casal. 2001. (Participações em eventos/Seminário).
Palavras-chave: terapia de família e casal; indicações; abordagem sistêmica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
43. Mesa redonda: Psicologia Familiar. 2002. (Participações em eventos/Seminário).
Palavras-chave: paradigma sistêmcio; terapia familiar; campo de atuação.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
44. Debatedora do tema Abordagem Sistêmica da Família. 2002. (Participações em eventos/Seminário).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
45. Apresentação de pôster: Paternidade Participativa: a Vivência Masculina. 2003. (Participações em eventos/Seminário).
Palavras-chave: paternidade participativa; gênero masculino; grupo focal; práticas discursivas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
46. . 2003. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
47. . 2003. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
48. . 2004. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
49. . 2004. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
50. Aplicação do pensamento sistêmico na psicoterapia. 2005. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
51. Pós-graduação latu-senso: a experiência do curso de especialização em Família. 2005. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
52. Coordenadora de mesa redonda: Os Reflexos da Globalização na Subjetividade.. 2006. (Participações em eventos/Seminário).
Palavras-chave: globalização; subjetividade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
53. . 2007. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
54. Psicoeducação como estratégia de sensibilização aos direitos humanos: uma experiência no Haiti. 2009. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
55. Interfaces entre adolescência, violência e lazer. 2009. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
56. . 2009. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
57. As novas configurações familiares: desafios atuais.. 2010. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
58. . 2011. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
59. Desafios para a Família Contemporânea. 2012. (Participações em eventos/Seminário).
Referências adicionais: Brasil/.
60. . 1978. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
61. . 1986. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
62. . 1988. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
63. . 1991. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
64. . 2005. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
65. . 2010. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
66. . 2010. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
67. Dialogic Strategies in Situations of Violence. 2012. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Estados Unidos/; Homepage: http://www.coe.uga.edu/dialogicalself2012/.
68. Constelação familiar: ampliando horizontes passados e presentes.. 2013. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
69. . 2014. (Participações em eventos/Simpósio).
Referências adicionais: Brasil/.
70. Coordenadora da Etapa de Sensibilização do Projeto Maria Bonita. 1992. (Participações em eventos/Oficina).
Palavras-chave: gênero; antropologia e sociologia da família; emancipação feminina.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
71. Profa. da oficina: Família - Relações Interpessoais. 1995. (Participações em eventos/Oficina).
Palavras-chave: dinâmica familiar; assistência psicossocial; ciclo vital da família; creche.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
72. Ministrante do curso: Terapia Familiar. 1996. (Participações em eventos/Oficina).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
73. Facilitadora de vivência em Constelação Familiar. 2006. (Participações em eventos/Oficina).
Palavras-chave: constelações familiares; emaranhamento emocional.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
74. . 2008. (Participações em eventos/Oficina).
Referências adicionais: Brasil/.
75. . 2009. (Participações em eventos/Oficina).
Referências adicionais: Brasil/.
76. Palestra: O Uso do Paradoxo na Terapia. 1986. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: paradoxo terapêutico; contos orientais; transdisciplinaridade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: México/.
77. . 1986. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
78. . 1986. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: México/.
79. Monitora do Curso de Terapia Familiar Sistêmica. 1987. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: dinâmica familiar; comunicação patológica; função do sintoma; paradoxo terapêutico.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
80. Mesa redonda: Imagem da Mulher: Violência na Família. 1988. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: Família; emancipação feminina; violência doméstica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar / Especialidade: Saúde Mental.
Referências adicionais: Brasil/.
81. Presidente de mesa redonda O Adolescente Deficiente. 1988. (Participações em eventos/Encontro).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
82. Coordenadora da equipe terapêutica do CEFAM. 1988. (Participações em eventos/Encontro).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
83. . 1988. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
84. . 1988. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
85. Professora do curso: Dinâmica Familiar do Esquizofrênico.. 1991. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: dinâmica familiar; abordagem sistêmica; comunicação patológica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
86. . 1991. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Argentina/.
87. Palestra: Supervisão em Grupo. 1992. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: Supervisão; abordagem sistêmica; Interdiciplinaridade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/.
88. Coordenador de discussão sobre Formação em Terapia Familiar. 1992. (Participações em eventos/Encontro).
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
89. . 1992. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
90. . 1996. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
91. Apresentação em grupo de trabalho: Pobreza, Violência e Representação da Infância. 1997. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: Pobreza; Violência; Representação da infância; Intervenção pedagógica.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
92. . 1997. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
93. . 2000. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
94. Mesa redonda: Novas Modalidades de Vìnculos Familiares. 2001. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: gênero; emancipação feminina; envolvimento paterno.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Brasil/.
95. Mesa Redonda: Clínica Particular e Clínica Escola. 2001. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: clínica-escola; terapia familiar; contrucionismo social.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
96. Palestra: A Psicologia Frente aos Desafios da Escola Hoje. 2002. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: relação família e escola; dificuldades; perspectivas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
97. Mesa Redonda: Saúde e Família. 2002. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: saúde mental; Família; critérios diagnósticos.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
98. Palestra: Mulheres Compartilhando com Homens o Cuidar dos Filhos. 2002. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: gênero; envolvimento paterno; preconceito feminino.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia e Subjetividade.
Referências adicionais: Brasil/.
99. Mesa redonda: Violência e Repercussões na Clínica. 2003. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: violência doméstica; multifatorialidade; jogos familaires.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
100. Mesa redonda: Família e Saúde Mental: Múltiplas Perspectivas. 2003. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: dinâmica familiar; saúde mental; multidimensionalidade; diagnóstico.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/.
101. Apresentação de trabalho: Paternidade Participativa: a vivência masculina. 2003. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: envolvimento paterno; vivência masculina; biologia da intimidade; práticas discursivas; grupo focal.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
102. Palestra: O Limite como Instrumento de Crescimento Pessoal, Familiar e Social. 2003. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: dinâmica familiar; desenvolvimento infantil; relação família e escola; regras familiares.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
103. Do Caos Social ao Caos Familiar: uma família em busca de organização. 2003. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
104. Palestra O Pensamento Sistêmico. 2004. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: paradigma sistêmcio; paradigma cartesiano; teoria da complexidade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/.
105. . 2004. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
106. Palestra Biologia da Intimidade. 2005. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: biologia da intimidade; patriarcado; gênero; sociedades matrilineares.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Setores de atividade: Educação.
Referências adicionais: Brasil/.
107. Debatedora de mesa redonda: Mundo Contemporâneo e Psicologia: Formação e Práticas em Foco.. 2005. (Participações em eventos/Encontro).
Palavras-chave: atuação profissional; novas perspectivas; questões contemporâneas.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
108. A Arte de Conviver com os Filhos. 2006. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
109. O Grupo Focal como Produção de Sentido. 2006. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
110. . 2006. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
111. A Violência em uma Visão Sistêmica. 2007. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
112. O Macho Cearense Revisitado: a relação com o próprio pai.. 2007. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
113. Babel: uma análise das interconexões sistêmicas. 2007. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
114. A Psicologia e a Família na Literatura Brasileira: Dom Casmurro e São Bernardo. 2007. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
115. Biologia do Fenômeno Social Humano. 2007. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
116. Sonho que se sonha junto. 2009. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
117. O que pode a psicologia: uma experiência no Haiti. 2009. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
118. Haiti, nosso desconhecido. 2009. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
119. Intervenções em saúde mental em contexto de crise humanitária. 2009. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
120. Práticas psicológicas em situaçôes de urgência: demandas e intervenções. 2009. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
121. Levantamento da rede social de Fortaleza.. 2011. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
122. A abordagem sistêmica no contexto psicológico.. 2013. (Participações em eventos/Encontro).
Referências adicionais: Brasil/.
123. Palestra: A Terapia Familiar Hoje. 1996. (Participações em eventos/Outra).
Palavras-chave: histórico da terapia familiar; indicação e contra-indicação; perspectivas atuais.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicoterapia Familiar.
Referências adicionais: Brasil/.
124. Palestra: Mulher e Ecologia, um resgate de nossa história.. 1998. (Participações em eventos/Outra).
Palavras-chave: gênero; patriarcado; biologia da intimidade.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
125. Debatedora do filme "Laila". 2001. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
126. Conferência: aula inaugural do Curso de Especialização em Intervenção Sistêmica da Família. 2002. (Participações em eventos/Outra).
Palavras-chave: sistema familiar; complexidade; saúde mental.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Setores de atividade: Saúde Humana.
Referências adicionais: Brasil/.
127. Dbatedora do filme "Seus Amigos, Seus Vizinhos". 2002. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
128. . 2003. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/; Homepage: Debatedora do filme "Betty Fisher e outras histórias".
129. Debatedora do filme "Aos treze". 2004. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
130. Conferência Dependência versus Independência. 2005. (Participações em eventos/Outra).
Palavras-chave: Independência; ciclo vital da família.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Ensino e da Aprendizagem.
Referências adicionais: Brasil/.
131. Debatedora do filme "Filhote". 2006. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
132. Mini-curso: Biologia do Fenômeno Social Humano. 2007. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
133. Debatedora do filme "100 Escovadas Antes de Dormir". 2007. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
134. O Fenômeno Social Humano. 2008. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
135. La Biologie de l'Amour. 2009. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Haiti/.
136. La Construction de l'Indentité Masculine. 2009. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Haiti/.
137. . 2010. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
138. Debatedora do filme Precisamos falar sobre Kevin.. 2012. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
139. Importância da dinâmica familiar nas empresas familiares.. 2013. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
140. Debatedora do filme A Excentrica Família de Antonia.. 2013. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
141. Debatedorda do filme Polisse. 2013. (Participações em eventos/Outra).
Referências adicionais: Brasil/.
Voltar


Indicadores de produção
Produção bibliográfica Produção técnica Orientações concluídas Dados complementares

Total
Produção bibliográfica 34

Artigos publicados em periódicos 4
Completos 4
Trabalhos em eventos 26
Completos 11
Resumos 14
Livros e capítulos 1
Livros publicados ou organizados 0
Capítulos de livros publicados 1
Textos em jornais ou revistas (magazines) 2
Jornal de notícias 2
Demais tipos de produção bibliográfica 1

Total
Produção técnica 67

Trabalhos técnicos 8
Demais tipos de produção técnica 59

Total
Orientações concluídas 25

Aperfeiçoamento/Especialização 10
Orientações de outra natureza 15


Total
Dados complementares 143

Participação em bancas examinadoras 2
Participação em eventos 141
Voltar

Página gerada pelo sistema Lattes - CNPq/UNIFOR. As informaçoes acima são de responsabilidade do professor.
Última atualização do CV em 11/08/2014 - 11:08